Terreno fértil para ações de marketing por celular


O cenário para o mobile marketing está propício na América Latina e, particularmente, no Brasil. É o que se infere a partir das pesquisas de Confiança do Consumidor da Nielsen, apresentadas nesta quinta-feira, em São Paulo, durante o Mobile Marketing Fórum. Segundo Tiago Moreira, gerente regional de produto da Nielsen, a disposição positiva dos sul-americanos no primeiro trimestre de 2010 – que equivale a 99 pontos segundo a metologia da consultoria — está superior àquela encontrada antes da crise, no terceiro trimestre de 2008, e superior ao registrado pelos seus pares norte-americanos (86 pontos) e europeus (78 pontos). No Brasil, em especial, a confiança atingiu 108 pontos neste começo de ano.

Segundo a Nielsen, esta disposição confiante tem resultado em compras via celulares. No segundo trimestre de 2010, paulistanos que detinham smartphones, gastavam R$ 150 mensais por meio de seus aparelhos; consumidores detentores de aparelhos intermediários, tidos como tier 2, gastaram R$ 110,00 em seus equipamentos móveis; enquanto as pessoas donas de aparelhos simples, pagaram por produtos e serviços móveis, R$ 63,00.

Ainda de acordo com as pesquisas da consultoria, entre os itens de consumo mais desejados por brasileiros estão diversão fora de casa, roupas e novas tecnologias. Moreira ressaltou que, por 2010 ser um ano da Copa do Mundo, a TV de alta performance liderou a lista dos objetos de desejo dos brasileiros, mas os smartphones vieram logo atrás, em segundo lugar, numa posição muito favorável, seguidos por DVRs, netbooks e itablets. A pesquisa detalhou, ainda, o ranking das vendas por celulares na América Latina: 87% dão-se por terminais simples; perto de 3%, smartphones; enquanto perto de 9,8% por aparelhos com funções mais sofisticadas, sendo considerados “quase” smart

 

Anterior Para Anatel, só 7% das metas do PGMU dependerão de satélite.
Próximos Tarifação do backhaul é mantida no PGMU III