Termina a etapa de lances para leilão da Telebrás, mas resultado só amanhã.


 
Além das asiáticas Huawei e ZTE, as empresas PromonLogicalis, Brasjet, Ziva e Teracom disputaram o leilão realizado hoje pela Telebrás para a compra de solução de rede de comunicação de dados em protocolo IP/MPLS, referente às redes de borda e acesso IP. O pregão, dividido em três grupos, teve os lances finais recebidos hoje no pregão eletrônico do Comprasnet, mas ainda não se sabe quem será a empresa vencedora, uma vez que o pregoeiro solicitou às companhias documentação para comprovar o desenvolvimento de tecnologia nacional — a estatal tem seguido em seus editais os termos da MP 495, que preveem apoio efetivo aos produtos de tecnologia nacional nas compras de governo.

Dividido em três grupos, o leilão teve a presença das gigantes Huawei e ZTE em todos e a maior parte dos lances menores foi feita pela ZTE. O primeiro grupo, para a aquisição de roteadores, placas de rede, transceiver, softwares de gerenciamento e a prestação de serviços operacionais, teve lances também da PromonLogicalis. Outras empresas menos conhecidas no setor, como Brasjet, Teracom e Ziva, também disputaram o leilão. O menor lance no grupo um foi de R$ 30,3 milhões (houve oferta de até R$ 181 milhões). No grupo dois, para compra de switch, software e sistemas de gerenciamento e treinamento de profissionais, o menor lance foi de R$ 64,1 milhões; e no grupo três (aquisição de conversor de protocolo, instalação e montagem de equipamentos de processamento e serviços de operação), o menor lance foi de R$ 10,6 milhões.

As contratações são para reativar a rede da Telebrás, que será usada para a conexão das primeiras cidades contempladas pelo Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). (Da redação)

Anterior Proteste considera proposta de revisão dos contratos “estarrecedora”
Próximos Anatel aprova entrada das teles no mercado de TV a cabo