Temer se comprometeu a trabalhar marco regulatório da inovação, diz CNI


Michel Temer se reuniu com mais de 100 empresários durante duas horas na sede da Confederação Nacional da IndústriaAntonio Cruz/Agência Brasil
Michel Temer se reuniu com mais de 100 empresários durante duas horas na sede da Confederação Nacional da IndústriaAntonio Cruz/Agência Brasil

O presidente interino Michel Temer teria se comprometido a aperfeiçoar o marco regulatório da inovação. Ele participou de reunião fechada hoje, 08, em Brasília com Gilberto Kassab, ministro interino da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, representantes da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI),

A informação foi passada a jornalistas pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade. Segundo ele, os empresários reclamaram do longo tempo para obtenção de patentes no país e como isso interfere na competitividade. “O Brasil gasta 11 anos para aprovar uma patente. A média do mundo é de três anos. Ele disse trabalhar para que as questões sejam resolvidas”, relatou Andrade.

Os empresários pediram menos entraves no INPI, mais facilidade para o financiamento a pesquisa e inovação e apoio do Estado para atrair centros internacionais de pesquisa ao país. “A lei do bem acabou sendo deteriorada e reduziu seus impactos na indústria brasileira”, acrescentou o executivo.

Segundo Andrade, a indústria vai enfrentar, ainda, mais um ano e meio de retração. “Nossas estimativas no ano são de decréscimo de 2,5%. Só a partir de 2018 que haverá crescimento da indústria brasileira”, disse. Diante da previsão, pediu ao presidente interino “medidas duras” de reformulação das leis trabalhistas, como mudanças na carga horária. Como exemplo, citou a França, que passou a permitir a negociação de jornadas de trabalho de até 80 horas. No Brasil, a carga horária semanal é de 44 horas.

Anterior TCU aprova, com ressalvas, leilão de 700 MHz
Próximos Quarta turma do Start-up Brasil recebeu R$ 16,7 milhões