Temer promete banda larga em 22,4 mil escolas até o final de 2018


Brasília - O presidente Michel Temer durante a 46ª Reunião Plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social - CDE (Antonio Cruz/Agência Brasil)
Brasília – O presidente Michel Temer durante a 46ª Reunião Plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social – CDE (Antonio Cruz/Agência Brasil)

O presidente Michel Temer se reuniu com o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social nesta terça-feira, 07, quando fez uma série de promessas sobre os próximos passos do governo. Segundo ele, foi criada uma equipe envolvendo ministérios como o da Educação (MEC) e o da Ciência e Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) que trabalhará com a meta de universalizar o acesso às escolas a ferramentas e plataformas digitais até 2022.

“Mas já em 2018 propiciaremos banda larga para 22,4 mil escolas públicas. Na seara de educação básica, estamos criando hoje o comitê intersetorial de políticas públicas para a primeira infância. Está sendo criado hoje graças às ponderações do Conselho”, disse Temer.

Ele não especificou, porém, qual velocidade e tecnologia usada para fornecer essa conectividade, nem quantas escolas têm banda larga atualmente. Segundo o SindiTelebrasil, são mais de 80 mil, e o plano de universalização da banda larga do ex-ministro André Figueiredo chegou a prever conexão em mais de 128 mil unidades de ensino.

Temer disse que suas equipes ministeriais apresentarão em até 60 dias proposta de aprimoramento da Lei do Bem, bem como, no mesmo prazo, a proposta de aperfeiçoamento da regulamentação do Código de Ciência, Tecnologia e Inovação, aprovado no primeiro mandato do governo Dilma Rousseff. Ele disse ainda que, no segundo semestre de 2017, será concluída a estratégia de longo prazo para a economia digital. Mas não deixou claro se isso foi referência ao Plano Nacional de Internet das Coisas. (Via Agência Brasil)

Anterior Cemig e CPqD testam rede que integra cabos elétricos e fibra óptica
Próximos Temer vai simplificar PIS e Cofins por medida provisória