Tellabs entra no mercado de redes corporativas com oferta de Optical LAN


A Tellabs, fornecedora de equipamentos e soluções especializada no segmento de transporte mobile, backhaul e redes metro Ethernet, vai ampliar sua área de atuação na América Latina a partir da introdução da linha de produtos Optical LAN, voltada para as redes corporativas. Para o vice-presidente de vendas e gerente geral para a América Latina, Alberto Barriento, este é um dos resultados da aposta da companhia na região, que registrou crescimento de 50% entre 2009 e 2012, o que elevou de 7% para 15% a participação da região na receita anual de US$ 1,053 bilhão.

“Estamos abrindo uma nova frente na região”, declarou Barriento, ao explicar que atualmente a receita da Tellabs na América Latina é quase 100% proveniente de vendas para as teles. Para atender o mercado corporativo, a Tellabs terá apoio de um integrador, cujo nome prefere ainda não anunciar, uma parceria que já está na fase de treinamento de tecnologia e estruturação do modelo de negócio. A companhia já tem uma parceria com a PromonLogicalis.

A atuação na nova área exigiu novas contratações no país, para criação de um grupo dedicado, um sinal de que não passa por aqui o aperto nos gastos pelo qual passa a companhia, que ao final de 2012 anunciou um plano de revisão de portfólio, estrutura e custos, após anunciar prejuízo de US$ 172 milhões no ano fiscal.

A diferença no momento da gestão não é à toa. No ano passado, o Brasil se tornou o maior mercado da Tellabs fora dos Estados Unidos e o esforço de introdução da tecnologia Optical LAN na região se dará primeiro por aqui e na Colômbia. Em seguida, o a iniciativa parte para a Argentina, Chile e Perú. Além da aposta em Optical LAN e mercado de redes corporativas, Barriento se diz confiante no processo de atualização das linhas de produtos voltados para as Carries. Após demonstrar gráficos que mostram o crescimento dos novos produtos ele afirma: “não estamos dependendo de produtos legados”.

Atualmente a companhia tem produtos em praticamente todas as grandes operadoras da região, o que lhe dá uma boa base, mas para além disso, acredita que a receptividade aos novos produtos tem sido boa. Entre os destaques, está a solução para backhaul de small cells, o Tellabs 8602 smart router, que deve ganhar tração à medida que as operadoras ampliarem o investimento em 4G, conforme explica Ronaldo Hirai, sales solution manager da companhia. O produto foi desenhado para sites de tamanho compacto, baixo consumo de energia e permite o uso de IP/MPLS como uma tecnologia unificada nas pequenas células.

A Tellabs também está avançando na inclusão de funcionalidades de redes definidas por software (SDN, na sigla em inglês) no Tellabs 8000, o sistema gerenciador, para as operadoras. O SDN ainda é uma tendência atualmente, mas tem chamado a atenção com a promessa de descolar a inteligência da rede do hardware e permitir centralização do controle, automatização de regras de negócio e facilitar a atualização das redes, inclusive em tempo real. Para 2014, a companhia promete ter funcionalidades SDN também no Tellabs 8600 Smart Router e no Tellabs 7100 Optical Transport System.

Segundo Barriento, a expansão do mercado brasileiro e latino-americano nos negócios da Tellabs deve prosseguir em 2013 e 2014. Este ano, até o terceiro trimestre, o desempenho está em linha com o do ano passado, com um declínio no México, por conta do congelamento de investimento pelas operadoras que aguardam o desenrolar da reforma regulatória. A partir de fevereiro, quando o cenário deve estar mais claro, a expectativa é de que as operadoras do México recuperem o tempo perdido. “Eu espero um crescimento de 50% para o México”, diz Barriento.

Os novos produtos da Tellabs e sua visão para o futuro das redes definidas por software serão apresentados em seu stand durante a feira de telecomunicações Futurecom, que será realizada na semana que vem, no Rio de Janeiro. 

 

Anterior Decreto que vai liberar uso de redes estatais pela administração federal terá aval do conselho de segurança
Próximos Presidente da Ancine e principais executivos de TV paga no Next TV Summit, segunda, dia 21.