Telesat recebe aval da FCC para operar satélites LEO nos EUA


Na imagem, uma projeção da Telesat de sua constelação. A intenção é prover conectividade em todo o globo.
Na imagem, uma projeção da Telesat de sua constelação. A intenção é prover conectividade em todo o globo.

A operadora de satélites Telesat recebeu na última semana autorização da Federal Communications Commission (FCC) para operar serviços com sua futura constelação de satélites de órbita baixa (LEO, na sigla em inglês). A autarquia, que regula o setor de telecomunicações norte-americano, permitiu que a operadora use frequências reservadas à banda Ka para a oferta de serviços de conectividade.

Os satélites, por serem muitos e em baixa órbita, terão capacidade de entregar conexões de alta velocidade, usam 4 GHz de espectro. A constelação LEO da operadora será formada por 120 satélites, e estará completamente lançada em 2021, conforme previsão da empresa. A primeira leva de naves deve ser colocada em órbita até o final deste ano.

A expectativa da empresa é atender com a nova tecnologia áreas hoje com baixa cobertura de banda larga tradicional, fixa ou móvel. A Telesat afirma que os satélites de baixa órbita serão capazes de entregar conexões de baixa latência e alta capacidade. Além de atender ao consumidor final, os planos preveem conectar o setor corporativo que hoje paga por acessos satelitais mais caros. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Produção do setor eletroeletrônico cresce 4,7% até setembro
Próximos Anatel e AGU votam contra plano de recuperação se dívida da Oi com União permanecer na RJ