Telesat paga R$ 89,3 milhões por dois satélites brasileiros e eleva ágio para 73%


O setor de telecomunicações continua a atrair vultosos investimentos para o país. Prova disto é o leilão de posição orbital brasileira que está sendo realizado hoje,26. Com quatro concorrentes e venda de quatro posições orbitais, aparentemente não deveria haver ágio alto. Mas os dois primeiros lances, arrematados pela canadense Telesat, tiveram ágios significativos, de até 73%. A empresa, que ficou com as duas primeiras posições orbitais, vai pagar mais de R4 80 milhões ao governo.

A canadense Telesat pagou ágio de 57% (exatos 56,86%),ou R$ 42,5 milhões, pelo direito de escolher primeiro a nova posição orbital brasileira a ser por ela ocupada. E, na segunda etapa da licitação, depois de já ter arrematado a primeira posição, a empresa veio com mais fôlego e disputou com a Eutelsat, ampliando o seu ágio para 73%. A empresa arrematou as duas primeiras – de quatro posições orbitais colocadas à venda pela Anatel – e vai pagar R$ 88,8 milhões para o Tesouro Nacional. Na segunda rodada, pela nova posição orbital, a empresa ofereceu nada menos do que R$ 46,8 milhões, valor bem superior ao preço mínimo estipulado pela Anatel, de R$ 27 milhões.  A empresa tem apenas uma posição de satélite do país, além de irradiar para o território com outros três satélites estrangeiros.

A Telesat, que também foi agressiva no primeiro leilão de posição orbital promovido pela Anatel, no final da década de 90, não encontrou concorrentes para bancar a sua proposta nas suas duas investidas. Os demais concorrentes apresentaram lances acima do preço mínimo estipulado pela Anatel, de R$ 27 milhões, mas não tão altos.

Na primeira disputa, a  árabe Star Satellite, única entre as concorrentes que não tem atuação no Brasil, ofereceu R$ 39 milhões, a francesa Eutelsat ofertou R$ 35 milhões e a espanhola Hispamar, R$ 28,5  milhões. Nenhuma delas quis aumentar a sua oferta, consagrando a Telesat como vencedora. Na segunda disputa, a Eutelsat resolveu bancar novas ofertas e chegou a oferecer R$ 44,625 milhões, mas desistiu depois da nova proposta feita pela empresa canadense.

Os satélites

Os novos satélites da canadense serão construídos apenas em banda Ka (ultra banda larga), na posição orbital 63º W em 17,7 a 20,2 GHz de subida e 27,0 a 30,0 GHz de descida, para o primeiro deles, e em 11,2 a 11,45 GHz na descida e 12,75 a 13,16GHz na subida do segundo satélite. Esta é a mesma posição onde está localizado hoje o atual satélite.

Conforme as regras do edital, a empresa precisa pagar 10% por cada posição orbital e tem seis anos para quitar o restante, com correção pelo IGP-DI e juros de 1% mensais. A Telesat não pode mais participar das duas outras vendas de posições orbitais.

 

Anterior Oi vai aumentar capacidade de transmissão no Norte do país
Próximos Algar Telecom cria sistema para reduzir tempo de atendimento