Teles têm receita de R$ 162,9 bi em 2012, 55,8% do rendimento total do setor de serviços


A receita operacional líquida de serviços de comunicação alcançaram R$ 259,1 bilhões em 2012, de acordo com a Pesquisa Anual de Serviços (PAS), divulgada nesta quarta-feira (19) pelo IBGE. As empresas de telecomunicações foram responsáveis por mais de 55,8%, com R$ 162,9 bilhões, enquanto as empresas de TI obtiveram receita de R$ 72,9 bilhões ou 25% do total registrado para o setor.

Em 2012, 43,7% da receita das teles, ou R$ 71,1 bilhões, vieram de valor adicionado bruto. Essas 4,3 mil empresas desembolsaram 5,1% com salários de 196,7 mil empregados, num total de R$ 8,4 bilhões.

Em situação contraria, as 54 mil empresas de TI obtiveram 63,4% de suas receitas – o total de R$ 46,2 bilhões – com valor adicionado bruto. Mas pagaram 27% de salários a seus 472 mil trabalhadores.

No geral, o setor de serviços movimentou R$ 1,1 trilhão em receita operacional líquida em 2012, respondeu por 12 milhões de pessoas ocupadas e pagou R$ 227 bilhões em salários, retiradas e outras remunerações, no total de 1,2 milhão de empresas.  Segundo o IBGE, em termos de receita, o montante representou um crescimento de 8,3% em relação a 2011. Também houve aumentos na massa salarial (6,9%) e no número de pessoas ocupadas (5,6%).

Na comparação com 2007, observou-se aumento médio anual real do valor adicionado (10,6%) acima do crescimento médio anual do número de pessoas ocupadas (7,7%). A produtividade do trabalho cresceu numa média anual de 2,7% e se distribuiu de forma heterogênea pelos diferentes ramos de atividades, com destaque para os serviços de reparação e manutenção, atividades imobiliárias, serviços prestados às famílias; serviços profissionais, administrativos e complementares; e outras atividades de serviços.

Em 2007, os serviços de informação e comunicação eram o maior segmento da pesquisa, gerando 31,1% do total estimado de receita. Em 2012, estes serviços perderam participação e os serviços de transportes, serviços auxiliares e correio (27,8%), seguido de serviços profissionais, administrativos e complementares (26,8%) figuraram como as maiores atividades da pesquisa.

A Pesquisa Anual de Serviços (PAS) analisa a estrutura produtiva do setor de serviços não financeiros no país e subsidia o cálculo do Produto Interno Bruto (PIB). No ano anterior a receita das empresas do setor havia sido R$ 1,004 trilhão.

Anterior Senado dos EUA barra projeto para conter NSA
Próximos TCU fará nova auditoria na Anatel em 2015