Teles gastam R$ 320 mi ao ano para repor equipamentos roubados


lixo-eletronico-equipamento-quebrado-internet-celular-fio-cabo-936x600Cerca de 5 milhões de clientes de telecomunicações têm seus serviços interrompidos a cada ano em função de furtos e roubos de cabos, rádios transmissores e equipamentos de redes, conforme dados divulgados hoje, 23, pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil).

O tema foi discutido hoje em audiência pública da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados. O sindicato diz que em 2015 foram registradas cerca de 5,6 mil ocorrências de roubo, furto e receptação de elementos das redes de telecomunicações. Ao todo, em 2015, foram furtados 4 milhões de metros de cabos e mais de 3 mil rádios transmissores.

Os custos de reposição dos equipamentos roubados, necessários para restabelecer os serviços à população, são de R$ 320 milhões ao ano. Montante equivalente ao custo de instalação de 640 antenas de telefonia e banda larga móvel.

O setor de telecomunicações entende que é fundamental aprimorar a repressão a essas condutas ilícitas, tornando-as compatíveis com o dano causado, para atenuar a ocorrência desses crimes. “Nesse sentido, o SindiTelebrasil apoia as iniciativas dos projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados (PL 5.845/2016, PL 5.846/2016, PL 5.852/2016 e PL 5.853/2016), que entendem a relevância dos serviços de telecomunicações e criminalizam o roubo, o furto e a receptação dos equipamentos de rede”, afirma o sindicato, em nota à imprensa.

Anterior Nextel faz promoção para caçadores de Pokémon
Próximos Olimpíadas geram 255 TB de tráfego na rede celular, 10 vezes maior que na Copa