Teles compartilharão dados de celular roubado na AL


Operadoras de telefonia móvel vão compartilhar informações de celulares roubados na América Latina, com o objetivo de bloquear os terminais e dificultar seu tráfico entre países da região, informou nesta terça-feira a GSMA Latin America. A iniciativa avançou após os representantes de políticas públicas das companhias concordarem com os próximos passos para começar a trocar informações por meio da base de dados de IMEI (Identidade Internacional de Equipamento Móvel, na sigla em inglês) da GSMA, em reunião do Chief Regulatory Officers Group para a América Latina (CROG Latin America).

A ação coordenada das diversas operadoras móveis já mostra resultados na América Central, onde as empresas móveis nacionais, junto às agências reguladoras de telecomunicações da Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras e Panamá, estão reunindo esforços para facilitar a identificação dos terminais roubados e proceder a seu bloqueio. “A ideia é estender a experiência de colaboração entre operadoras e governos que foram levados adiante na América Central e expandí-la mediante acordos país por país em toda a região, nos próximos seis meses”, afirma Javier Delgado, diretor da CROG Latin America.

A criação de uma Frente Regional contra o Furto de Equipamentos Terminais Móveis foi uma parte fundamental da resolução aprovada em 2011 pela Comissão Interamericana de Telecomunicações (CITEL) durante a reunião do Conselho Consultivo Permanente I (CCPI). Entre as propostas desta resolução, recomenda-se: “regulamentar o intercâmbio das bases de dados negativas a nível regional e o bloqueio de IMEIs para evitar a ativação e uso de celulares roubados em outros mercados, contribuindo para a redução do tráfico ilegal de equipamentos entre países da Região”.

As empresas associadas à GSMA que aderiram ao compromisso de se conectar à base de IMEIs bloqueados e implementar medidas para bloquear terminais roubados em todos os países onde têm operações na América Latina são: América Móvil, Antel, Cable & Wireless Panama, Corporacion Digitel, Entel Bolivia, Entel Chile, Instituto Costarricence de Electricidad (ICE), Tigo Colombia, Nextel/NII Holdings, Nuevatel PCS Bolivia, Orange Republica Dominicana, Telecom Italia e Telefónica.

Este acordo, cuja total execução se espera concluir em março de 2013, cobre mais de 500 milhões de conexões móveis em toda a região. A GSMA informou também que continuará trabalhando na adesão total de companhias na América Latina mediante acordos de entendimento entre as operadoras de país a país. (Da redação)

Anterior PT reafirma compromisso de Bava com grupo
Próximos Paulo Castro assume presidência global do Terra