Telemar lucra R$ 248 milhões no segundo trimestre


A Oi (Telemar) informou hoje seus resultados financeiros relativos ao terceiro trimestre deste ano, quando obteve lucro líquido de R$ 248,7 milhões, valor 46,8% menor do que o obtido em igual intervalo do ano passado. A empresa destacou que o resultado foi impactado por eventos não recorrentes no valor de R$ 333 milhões, relacionados a …

A Oi (Telemar) informou hoje seus resultados financeiros relativos ao terceiro trimestre deste ano, quando obteve lucro líquido de R$ 248,7 milhões, valor 46,8% menor do que o obtido em igual intervalo do ano passado. A empresa destacou que o resultado foi impactado por eventos não recorrentes no valor de R$ 333 milhões, relacionados a compra da Brasil Telecom (BrT) pela empresa. O valor, desembolsado e lançado contabilmente neste segundo trimestre, é composto por R$ 315 milhões para extinguir todos os litígios envolvendo a BrT Participações, e R$ 18 milhões para consultoria financeira e assessoria jurídica.

O Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no trimestre ficou em R$ 1,3 bilhão, com margem de 28%, contra R$ 1,5 bilhão com margem de 36,6% obtidos no mesmo trimestre de 2007. Segundo a Telemar, o o gasto dos R$ 333 milhões impactou negativamente o Ebtida o último trimestre em 17,8%, e, se descontado este impacto não recorrente, o grupo teria obtido Ebtida de R$ 1,6 bilhão. No segundo trimestre a  receita operacional líquida do grupo somou R$ 4,6 bilhões, avanço de 7,3% frente ao mesmo período de 2007.

O serviço de banda larga da empresa contava, ao final de junho último, com 1,8 milhão de acessos, incluindo os acessos via cabo da Oi TV. A base cresceu 38,3% frente a junho do ano passado, com acréscimo de 485 mil usuários no intervalo. O número de linhas em serviço ficou em 13,8 milhões, recuo de 1,1% frente ao trimestre anterior, e 3,2% em comparação ao segundo trimestre do ano passado. Ao final de junho a Oi contava com 5,3 milhões de clientes de planos alternativos, que representavam 38,3% das linhas em serviço. O operadora encerrou junho com 20,2 milhões de assinantes móveis, o que representa crescimento de 48,9% da base, quando comparada com junho de 2007. Deste total, 84% respondem por planos pré-pagos, percentual praticamente inalterado nos últimos três trimestres.

Em teleconferência com jornalistas, o diretor financeiro e de relações com investidores da Oi,  José Luis Salazar, se esquivou de responder perguntas envolvendo o processo de aquisição da BrT, mas afirmou que a Oi pretende captar entre R$ 11 bilhões e R$ 12 bilhões para efetivar a compra de capital da BrT. “Dos R$ 12 bilhões que pretendemos captar, temos já 65%, o equivalente a R$ 8 bilhões, captados.” Ele acrescentou que estão previstas, até o fianl do ano, outras captações, que poderão ser feitas por meio de bancos de desenvolvimento estrangeiros, emissão de bônus no exterior, ou empréstimo bancário com instituições internacionais. “Precisamos de pelo menos 3 bilhões de reais  para o segundo semestre, que deverão ser captados entre o início de setembro e a primeira quinzena de dezembro”, explicou Salazar. 

Anterior Telefônicas terão que implantar centrais para atender deficiente auditivo
Próximos Celular no Brasil: muito espaço para crescer.