Telegent investe em tevê analógica para celular


No vácuo da migração da televisão analógica para a digital no Brasil, cujo prazo para estar completa é 2016, a Telegent está lançando no país um chip com capacidade para recepção de tv digital, para ser embarcado em celulares. A empresa, que tem sede nos EUA, está há 18 meses no país, e apostou na …

No vácuo da migração da televisão analógica para a digital no Brasil, cujo prazo para estar completa é 2016, a Telegent está lançando no país um chip com capacidade para recepção de tv digital, para ser embarcado em celulares. A empresa, que tem sede nos EUA, está há 18 meses no país, e apostou na TV analógica móvel para ampliar seus negócios na região. “Estamos no Brasil porque a TV aberta tem aqui um papel fundamental, e nossas pesquisas apontam que mais de 90% da população tem interesse em um celular com acesso a TV aberta”, destacou hoje Carlos Kirjner, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da Telegent.

Ele afirmou que a fabricante chinesa ZTE já homologou um aparelho com o chip embarcado, e deve lançá-lo comercialmente até o final do ano. O executivo salientou que três das cinco maiores fabricantes de celulares do mundo já possuem protótipos, e têm planos de lançar o produto em algumas regiões do globo. “Estou conversando com três das quatro maiores operadoras do Brasil, e com uma delas já estou discutindo os planos comerciais”, frisou Kirjner.

Digital

O principal argumento de Kirjner para lançar uma tecnologia com data marcada para a extinção é a demora na implantação da TV Digital aberta no país. “Nos próximos 3 a 4 anos apenas uma pequena parte da população vai ter acesso a TV Digital, que vai pegar, mas vai levar um certo tempo”, disse o executivo, acrescentando que com o lançamento, “não estamos competindo com a TV Digital, estamos complementando-a”. Ele afirma que a TV analógica é a única solução disponível de TV móvel para 80% da população brasileira, “portanto fica difícil falar em concorrência com estes números”.

Na avaliação de Kirjner, todos os elos da cadeia saem ganhando com a implantação do dispositivo em celulares. “Para as emissoras haverá mais espectadores vendo mais horas de suas programações, para o fabricante é um recurso a mais no celular, cujo custo total de instalação não supera US$ 10 por unidade”, garante, incluindo nos ganhos “as operadoras de celulares, pois nossas pesquisas apontaram que na China, os usuários com este recurso no celular utilizam entre 5% e 8% a mais de SMS (mensagens curtas de texto, na sigla em inglês).”

O lançamento de um chip que suporte o sistema brasileiro de TV Digital “vai depender de como vai se desenvolver a cobertura desta tecnologia”, e a decisão deve ser tomada nos próximos “12 a 18 meses”, afirmou Kirjner. Ele acredita que o padrão brasileiro, único no mundo por enquanto, geraria escala para suportar a fabricação da Telegent de chips neste padrão. “Nossa dificuldade não é criar um mercado, é acompanhá-lo”, avalia o executivo. Ele se esquiva de fazer comparações entre os padrões analógica e digital, concluindo que: “não sei se a tv analógica é melhor que a digital, o que eu sei é que hoje, para grande parte dos municípios brasileiros, é a única solução viável para tv móvel”.

Anterior Anatel lança consulta para banda larga em rede elétrica
Próximos Costa: Separação de empresas é proposta retrógrada.