Telefônica/Vivo reforça área de aplicações na saúde


Um acordo firmado hoje com a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (Fmusp) vai permitir à Telefônica/Vivo desenvolver novas aplicações para a  área de saúde, reforçando a área de negócio da empresa chamada e-Health, que já lançou algumas soluções no mercado, como a Gestão Digital de Imagens Médicas (permite a usuários e profissionais terem acesso a exames a partir de qualquer dispositivo eletrônico). Por seu lado, a área de telemedicina da Fmusp poderá, a partir de chips 3G e de conectividade fornecidos pela operadora, desenvolver três cases que vão testar a eficacia da mobilidade para disseminar conhecimento e viabilizar um programa de saúde na nuvem.

Os chips doados pela Telefônica, 60 no total, serão usados por estudantes e profissionais de medicina em três projetos: atenção primária (os profissionais da saúde da família terão informações embarcadas num tablet, que receberá também dados da família visitada pelos agentes); saúde do idoso (os chips serão usados na telemedicina para promover a qualificação do médico) e em emergência (os tablets serão uma “ferramenta” a mais no pronto atendimento, como acidentes de moto ou com ciclistas, transmitindo imagens e recendo orientações de outros profissionais).

“Esse conjunto de cases também vai produzir informações sobre a conectividade, o desempenho da rede, a latência e a cobertura”, comentou Antonio Carlos Valente, presidente da Telefônica I Vivo. O chefe da telemedicina da Fmusp, Chao Lung Wen, destacou a importância de criar a nuvem na saúde. “Com a mobilidade,  a educação torna-se possível em qualquer lugar e a qualquer hora. O que queremos com esses cases é avaliar o impacto (do uso da tecnologia) nos atendimentos, e levarmos o conhecimento de um centro de excelência para a ponta”, afirmou Wen. (Da redação)

Anterior Cade multa Ecad em mais de R$ 38 milhões por formação de cartel
Próximos Receita com dados móveis crescerá 21,4% entre 2012 e 2014