Imagem por blizzy78 (CC.by.2.0)

Imagem por blizzy78 (CC-by-2.0)

Assim que o TCU confirmar o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) da Telefônica Vivo aprovado pela Anatel, que envolve investimentos de R$ 4,2 bilhões até 2020 em troca de multas, a operadora vai colocar as equipes na rua para implantar fibra óptica até a casa do cliente em 19 cidades, de todas as regiões do país. Esse volume significa um quinto das cem cidades em que terá que colocar infraestrutura de FTTH até 2020 de acordo com o TAC.

De acordo com Eduardo Navarro, presidente da operadora, vai ser um esforço gigantesco já que, no ano passado, a empresa implantou fibra em apenas duas cidades Timóteo, em Minas Gerais, e Cachoeiro Sul, no Rio Grande do Sul. Ele lembra que a GVT, comprada pela Telefônica em setembro de 2014, que expandiu rapidamente sua infraestrutura de fibra óptica, em seus melhores anos implantou a rede em dez cidades. Hoje, o grupo conta com cerca de 180 cidades fibradas.

Os compromissos do TAC, em termos de banda larga fixa, vão ter um reflexo importante na infraestrutura, de acordo com o executivo. A isso vai se somar a expansão da banda larga móvel por meio da expansão das redes 3G e 4G que deverão atender a outros 400 municípios, onde o VPL é negativo, segundo os termos do TAC. De acordo com o relatório, com esses compromissos, o Brasil subirá trinta e cinco posições no ranking da velocidade média de banda larga, passando de 4,5 Mbps para 7,5Mbps.

Neste ano, os investimentos programados pela Telefônica no país serão de R$ 8 bilhões – R$ 24 bilhões no triênio, que incluem os R$ 4, 2 bilhões do TAC.