Telefónica prepara-se para aumentar o capital e pagar a GVT


A Telefónica negocia com um grupo de nove bancos o lançamento nos próximos dias da ampliação de capital em 3 bilhões de euros (R$ 10,5 bilhões) para financiar a compra da GVT, que adquiriu da francesa Vivendi. O Cade, agência antitruste, vai julgar o processo nesta quarta, dia 25.

UBS, Morgan Stanley e JP Morgan liderariam a operação, que poderia ser iniciada na semana que vem, segundo a agência Reuters. O Bank of America Merrill Lynch, Barclays, HSBC e os espanhóis BBVA, Caixabank e Santander também estão colaborando na colocação de capital.

Em setembro, a Telefónica firmou um acordo definitivo com o grupo francês para a aquisição da GVT por 4,66 bilhões de euros a serem pagos à vista, mais 12% do capital social da Telefónica Brasil, a filial do grupo espanhol no país, depois de sua integração com a GVT. Uma parte dessas ações será trocada por participação no capital da Telecom Italia, e por isto as agências reguladores brasileiras – Anatel e Cade – estão estabelecendo condicionantes, para que a francesa não fique dona de duas operadoras de celular concorrentes no Brasil – a TIM e a Vivo.

A compra é realizada através da Telefónica Brasil e, por isso, a operadora espanhola precisa realizar uma ampliação para cobrir o desembolso que lhe corresponde pelos 73,9% do capital que possui em sua filial brasileira. Quando a operação foi anunciada, a ampliação foi fixada em 3,4 bilhões de euros, mas em 25 de fevereiro, em razão da apresentação de resultados, esse montante foi reduzido para 3 bilhões. ( com agências internacionais). 

Anterior T-Systems tem cinco pilotos para gestão de dados de veículos conectados
Próximos A partir de 1º de julho, operadoras oferecem IPv6 a todos os usuários