Telefónica prepara renovação do serviço de TV no Brasil e na América Latina


Ericsson
Tablet com acesso a serviço de entrega de conteúdo em vídeo desenvolvido pela Ericsson Media Solutions

O grupo espanhol Telefónica prepara uma renovação de seus serviços de TV paga na América Latina – inclusive no Brasil. A empresa contratou a Ericsson Media Solutions para fazer a atualização dos sistemas e entregar o conceito de “TV everywhere”, em que é possível aos usuários assistirem à programação contratada em qualquer lugar, usando qualquer dispositivo com acesso à internet.

No primeiro momento, a novidade deve se concentrar na possibilidade de acesso a programação passada. Haverá possibilidade de o consumidor recuperar conteúdos transmitidos uma semana antes.

A tecnologia será implementada até o final deste ano no Brasil, além de Argentina, Chile, Colômbia e Peru. Até o final de 2020, as operações da Telefónica em 13 países vão usar a tecnologia da Ericsson Media Solutions. O valor do contrato não foi revelado pelas empresas.

VSPP

A Telefónica vai usar o sistema de armazenamento e processamento de vídeo (VSPP) da fornecedora. A tecnologia promete tornar a entrega de vídeo sob demanda mais confiável e ágil, embora reduza a quantidade de servidores usados.

Segundo a Ericsson Media Solutions, a contratação prevê a “virtualização do armazenamento e do processamento de vídeos”. Antes da contratação para 13 países, a Telefónica implementou com sucesso o VSPP no Peru e na Espanha.

A Ericsson Media Solutions fazia parte da Ericsson, fornecedora de equipamentos de rede de telecomunicações que passa por reestruturação. Neste ano, a sueca vendeu o controle da unidade para um fundo de investimentos. Mas ainda conserva fatia de 49% da empresa. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Desembargador nega pedido da Telebras para rever suspensão de acordo com Viasat
Próximos Marcelo Ramos assume presidência da Infobip no Brasil

4 Comments

  1. Richard
    10 de Abril de 2018

    Tudo linda e maravilhosa essa notícia. Alta tecnologia, Ericsson, tv everywhere… mas é tão bom que por exemplo não expandem o Fibra para cidades abaixo de 200 mil habitantes nem com reza.

    Moro em Atibaia e cansei de perguntar se teríamos essa opção por aqui: como resultado, fui pra NET já que a Vivo nem fica vermelha em falar “ao menos aí você tem opção de 10Mbps, já que na maioria da cidade é abaixo de 4Mbps”

    Estou pagando 120Mbps na NET o que paga pela esmola de 10Mbps ali.

  2. Icaro Coelho
    10 de Abril de 2018

    Boa tarde amigo, trabalho na Vivo e existem partes de Atibaia que tem fibra ótica, chama no whatsapp que consulto a viabilidade para ver se de fato não tem onde mora. (11) 98030-4656

  3. reinaldo
    10 de Abril de 2018

    Passou da hora! finalmente vão mudar um pouco a maneira de distribuição, espero que os preços baixem, e que os pacotes sejam completamente selecionáveis… Melhor ter 20-30 canais de verdade a escolha do assinante do que os “cem” que eles ofertam no pacote fechado e com preços nas alturas, e ainda canal HD sai mais caro, num “pacote premium” isso é uma vergonha sem tamanho, quase todos os meios utilizam transmissões puramente em FHD porém para ter serviços HD vc precisa pagar a mais por isso… Dá para popularizar tv por assinatura no Brasil só falta um pouco de vontade.

    Quando chegarmos na popularização da TV a cabo a próxima discussão deveria ser sobre os padrões de transmissão e captação da imagem, estamos em 2018 porém o formato padrão é 1080i e 720p à 30fps e no cinema 24fps, cara isso cansa os olhos… já passou da hora de termos conteúdo de tv e filmes transmitidos 60fps ou a 120fps num formato de 1080p… 100% das tvs vendidas são 60Hz já começa a sair tvs e monitores nativos em 120hz. Mas haverá aqueles que dirão que câmeras que gravam em 60fps ou 120hz são mais caras. Nem tanto e vc pode usar um recurso de interpolação de frames, colocando um frame real com outro artificial, dobrando a quantidade de frames, de 30 vc faz 60, 30 frames reais e outros 30 artificiais, o efeito fica muito próximo ao do 60fps nativos e de 60fps dá para faz 120fps e assim por diante, sempre dobrando a quantidade de frames transmitidos. Qual seria o ganho? Uma imagem com mais quadros é uma imagem mais fluida, mais agradável aos olhos, cansa menos as vista, imagens em movimento ficam muito mais bonitas e fluidas, facilitante a compreensão da imagem.

    Imagino que quando transmitirem em 4K será em “i” o que é uma vergonha, tá na hora de transmissões serem em 60fps e 1080p ou 3840p e não mais em “i”

  4. Rafael Rodrigues de Lima
    22 de Abril de 2018

    Nao sei como eles nao teêm vergonha de vender canais em qualidade SD pros consumidores, ae quando vender os pacotea em HD o fazem como se fosse lá grnade coisa, devo dizer que como estamos na era do 4k o 1080 deveria ser o minimo a ser ofertado, pois bem vejam pela minha otica, a tv de forma geral está definhando aos poucos, as programaçoes disponíveis ja não chamam a atençao como antigamente, em tempos de youtube e netflix, por que pagar mais ainda em um pacote de canais em HD so pelo fato de ser superior ao SD, concluido ou tv paga se reinventa ou ela perderá espaço, e seus concorrentes agradeçeram…