Telefônica muda estratégia e oferece banda larga popular no par de cobre


A Telefônica desistiu de oferecer a banda larga popular a R$ 29,80 por 256 kbps, sem necessidade de o usuário ter a assinatura básica dso serviço de voz, apenas na tecnologia wireless. Na realidade, o projeto lançado no ano passado, não avançou – em setembro contabilizava só 2 mil usuários do serviço prestada por sua rede WiMesh, embora a empresa tenha anunciado que chegaria ao final de 2010 com 40 mil usuários.

Diante das dificuldades enfrentadas, da instabilidade do serviço sem-fio (não admitida pela empresa) e de ter chegado à conclusão de que poderia vender a banda larga, com a isenção do ICMS, sem canibalizar o serviço de voz (o que a tinha impedido de oferecer o serviço, no ano passado, sobre a rede de cobre), a Telefônica começou a comercializar a banda larga popular no par de cobre a partir de outubro. De acordo com Mariano de Beer, diretor executivo, a Telefônica registrava, em novembro, 20 mil conexões de banda larga popular. “O serviço vai acontecer em 2011”, diz ele, informando que 70% das novas adesões ao serviço de banda larga são da classe C.

De acordo com Antonio Carlos Valente, presidente da empresa, o oferta da Telefônica para a banda larga popular prevê upgrade para 1 Mbps, por período determinado (até o carnaval), desde que o cliente compre um segundo serviço: vídeo ou voz. Se ele comprar serviço de voz, vai pagar mais R$ 40,60 (assinatura básica), num total de R$ 70,40. Se adquirir o serviço básico de TV, com 20 canais, vai pagar mais R$ 29,80, num total de R$ 69,70. Se comprar mais voz e TV básica, seu pacote será de R$ 110,30, por exemplo. De acordo com Valente, a promoção vem sendo bem sucedida embora não tenha apresentado números.

Anterior Votação do PLC 116 no Senado ficará para 2011
Próximos Telefônica estuda processar a Vivendi pela aquisição da GVT