Telefônica lucra R$ 1,72 bilhão em nove meses


A Telefônica divulgou seus resultados para o terceiro trimestre de 2007, quando encerrou setembro acumulando lucro líquido de R$ 1,72 bilhão, resultado 6,2% menor que o R$ 1,83 bilhão registrados em igual intervalo do ano passado. De janeiro a setembro deste ano o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 4,69 …

A Telefônica divulgou seus resultados para o terceiro trimestre de 2007, quando encerrou setembro acumulando lucro líquido de R$ 1,72 bilhão, resultado 6,2% menor que o R$ 1,83 bilhão registrados em igual intervalo do ano passado. De janeiro a setembro deste ano o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 4,69 bilhões, o que representa queda de 6,3% frente aos R$ 5 bilhões auferidos no mesmo período de 2006.

A margem EBTIDA foi de 42,7%, com queda de 3,3 pontos percentuais em relação ao intervalo de janeiro a setembro do ano anterior. No acumulado do ano a receita operacional líquida ficou em R$ 10,9 bilhões, praticamente estável em relação a 2006. Nos primeiros nove meses deste ano a operadora investiu R$ 1,3 bilhão. O número de linhas em serviço ficou em 12 milhões, queda de 2,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, sendo que metade deste total é de linhas com planos alternativos de telefonia fixa. O Speedy, serviço de banda larga, atingiu 1,936 milhão de clientes em setembro, o que  significa crescimento de 30,8% em relação a setembro  de 2006.

O desempenho da operadora fixa paulista neste período ficou um pouco abaixo das projeções dos analistas, impactado, principalmente, pela queda nas receitas com as ligações de longa distância. Mas, para alegria dos investidores, a Telefônica é a empresa que distribui os dividendos mais altos da América Latina, e a expectativa é de que sejam distribuídos dividendos no valor de R$ 2 bilhões antes do final do ano.
(Da Redação)

Anterior Anatel vai ampliar oferta de banda larga em regiões remotas
Próximos Com ajuste contábil, TIM tem prejuízo no terceiro trimestre.