Telefónica inicia operação brasileira de soluções digitais para lojas


O grupo espanhol Telefónica inaugura nesta semana a operação brasileira da Onthespot, braço de negócios especializado em ativação digital de pontos de venda. A empresa vai trabalhar em parceria com a Vivo na oferta de tecnologias para pontos de venda em grandes, médias e pequenas lojas do varejo, além de shopping centers.  

“Estamos entrando em toda a América Latina e o Brasil será o nosso maior mercado”, projeta Antonio Saramago, executivo responsável pela operação no Brasil. A companhia estima alcançar faturamento de € 7 milhões para este ano no país. A deve atuar também em segmentos corporativos. “As redes de bancos, por exemplo, são um nicho de alta demanda para as soluções que oferecemos. O mesmo vale para estandes de empreendimentos imobiliários, concessionários de veículos, entre outros ramos de atividade”, diz Saramago.

A Onthespot vai, ainda, competir no mercado de Digital Out Of Home (DOOH), veiculação de informações e publicidade em telas instaladas em ambientes públicos e privados. A companhia assumiu a operação de DOOH da Linha 4-Amarela de metrô, em São Paulo – ativo que antes pertencia ao Terra. São cerca de 1 mil telas distribuídas nas estações, que impacta cerca de 700 mil pessoas ao dia, segundo a empresa. A rede de telas da Onthespot inclui ainda 1800 aparelhos instalados em redes de academias, salões de beleza, cafeterias, bares e restaurantes, circuito que impacta cerca de 9 milhões de pessoas ao mês.

Segundo comunicado da emrpesa, a onthespot já atua em 82 países, tem 15 mil clientes e 26,4 mil telas implantadas no mundo. A companhia teve origem no negócio de pacotes de música ambiente para redes de varejo, segmento em que a Telefónica atua há mais de 40 anos (com a marca Hilo Musical hoje integrada à onthespot) e no qual tem cerca de 43 mil pontos atendidos. Entre as tecnologias exploradas estão vitrines interativas, que permitem que o consumidor interaja com conteúdo exposto pelo varejista; contadores de pessoas, que geram relatórios de fluxo de clientes nas lojas e suas diferentes seções; telas com catálogos virtuais para consulta de produtos, que trazem uma nova experiência de compra e geram estatísticas de interesse dos consumidores; serviços WiFi ativados via rede social para clientes; totens de pesquisa de satisfação; gerenciadores de filas e ambientação musical das lojas. (Com assessoria de imprensa)

Anterior MiniCom vai alterar normas de close caption e de variação de volume de TV
Próximos Lenovo planeja compra da Blackberry, diz agência