Telefônica Empresas: em 2005, lucro ao invés de prejuízo.


Cinco anos após sua criação, a Telefônica Empresas (Telefônica Data Brasil Holding) vem tendo crescimento anual médio em receita de 22%. Em 2005, o lucro operacional da companhia antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) cresceu 67%. As informações constam de balanço e relatório da administração publicados nos jornais de 21 de fevereiro.

No último exercício, a receita de serviços de dados por pacotes teve acréscimo de R$ 133 milhões (+23%), sobretudo em função dos serviços de comunicações empresariais e de internet. O faturamento gerado pelas soluções integradas e outsourcing foi ampliado em 15%, e a planta física da rede nacional aumentou 15%. O tráfego IP cresceu 65%, basicamente pela expansão da planta de acesso de banda larga.

A utilização do protocolo MPLS (Multi Protocol Label Switching) permitiu otimização e crescimento do tráfego da rede nacional em 17%. Expansão de 38% na capacidade de portas equivalentes a 64 kbps na rede IP, e de 53% na rede multiserviço.

Receitas

A receita operacional líquida acumulada em 31/12/2005 foi de R$ 739 milhões, 21% maior do que no ano anterior. O resultado operacional antes das despesas financeiras líquidas, excluídas as depreciações e amortizações (EBITDA) totalizou R$ 171 milhões, 67% a mais do que no exercício de 2004. A margem EBITDA foi de 23%, em comparação com 17% em dezembro de 2004, como resultado do crescimento dos negócios e da redução de custos.

No último exercício, o resultado operacional totalizou R$ 23 milhões, face a um prejuízo de R$ 29 milhões em 2004. O faturamento líquido da Telefônica Empresas foi de R$ 11 milhões, enquanto em 2004 a companhia teve prejuízo de R$ 21 milhões.

Investimentos

Em 2005, foram investidos R$ 93 milhões, basicamente na ampliação da planta de equipamentos instalados na casa do cliente (CPE – Customer Premises Equipments), na ampliação da capacidade das redes multiserviços e IP e na contratação de sistemas de suporte à operação.

O relatório da administração da empresa assinala que, nos próximos anos, a linha de negócios de maior crescimento será a de soluções de tecnologia da informação, “posicionando a Telefônica como uma provedora de full outsourcing”.

Anterior Os planos de expansão da AT&T
Próximos Reunião da Anatel com operadoras não esclarece mudanças na conversão