Telefonia móvel investirá 26 bi de euros em 5 anos


Madrid – Em um cenário pessimista, se a telefonia móvel crescer 10% ao ano, nos próximos 5 anos, cinco países da América Latina – Brasil, México, Venezuela, Peru e Chile – receberão investimentos diretos de 26 bilhões de euros. Em um cenário otimista – se a taxa de penetração da telefonia móvel crescer 25% ao …

Madrid – Em um cenário pessimista, se a telefonia móvel crescer 10% ao ano, nos próximos 5 anos, cinco países da América Latina – Brasil, México, Venezuela, Peru e Chile – receberão investimentos diretos de 26 bilhões de euros. Em um cenário otimista – se a taxa de penetração da telefonia móvel crescer 25% ao ano -, os investimentos sobem para 65 bilhões de euros no mesmo período. Essas projeções foram divulgadas hoje, 17 de fevereiro, pela Telefônica, que fez um minucioso estudo do mercado de telefonia celular nesses cinco países.

Segundo Daniel Arias Pando, diretor da divisão de regulação e relações institucionais da Telefónica Móviles, a cada 10% de incremento da telefonia móvel, há um aumento adicional de 0,3% do PIB do país. Em contrapartida, a cada aumento de 1% do PIB, a telefonia móvel amplia em 1,5% sua taxa de penetração.

Conforme o estudo, nos últimos três anos, a telefonia móvel foi responsável pelo ingresso de US$ 16 bilhões de investimentos estrangeiros diretos na região. “Somente em 2004, ela contribuiu com 2,5% do total dos investimentos dos países analisados”, frisou.

Segundo Pando,esses valores indicam que o modelo de negócios da telefonia celular deu certo e que, por isso, os reguladores devem tomar cuidado para não promover a redução artificial das tarifas de interconexão. “A tarifa de terminação de chamada é  uma relação entre os operadores e nada indica que a sua redução artificial provoque a queda no preço do serviço para o consumidor final”, afirmou. 
(a jornalista viaja a convite da Telefônica)

Anterior Vivo quer freqüência para virar operadora nacional
Próximos Com ações em alta, PT estuda criar empresa de linha fixa