Telecom Italia vende parte da Inwit para grupo de investidores


 

A Telecom Italia vendeu uma parte da Inwit, sua unidade de infraestrutura móvel, para um grupo de investidores institucionais reunidos pelo fundo Ardian. A transação foi informada hoje, 24, ao mercado. Pela venda, o grupo europeu dono da TIM Brasil vai receber € 1,6 bilhão.

A operação é complexa. A Telecom Italia criou uma holding que vai deter 30,2% das ações ordinárias da Inwit. O consórcio formado pelo fundo Ardian, por sua vez, terá 49% do capital dessa holding, enquanto o controle permanecerá com a Telecom Italia. Essa holding dividirá o controle na Inwit com a Vodafone, conforme outro acordo firmado no começo do ano.

PUBLICIDADE

Em outra frente, companhia italiana também chegou a um acordo com um fundo gerenciado pela Canson Capital Partners. Este fundo, não identificado, comprou diretamente 3% da Inwit.

A conclusão da transação está sujeita a várias condições que estão sendo cumpridas até 30 de setembro de 2020. O qual inclui a autorização sob os regulamentos da Golden Power e confirmação do Consob, regulador do mercado de ações da Itália.

O dinheiro arrecadado será usado para pagamento da dívida do grupo italiano, que passará de € 21,7 bilhões para € 19,4 bilhões.

Governo da Itália estuda aporte

A semana tem sido movimentada para os executivos da Telecom Italia. Na segunda-feira, 22, circulavam rumores de que o governo italiano estuda comprar até 25% das ações do grupo de telecomunicações. O aporte teria a finalidade de capitalizar a empresa para acelerar a implantação de banda larga no país, conforme a agência de notícia Reuters.

Atualmente, o banco estatal CDP detém 9,9% das ações da companhia. O maior acionista da Telecom Italia é o grupo francês Vivendi, com quase 25% das ações. Ou seja, com o investimento estatal, o governo passaria a ter o controle.(Com assessoria de imprensa)

Anterior Abranet pede o adiamento da votação do PL das Fake News
Próximos Relator das Fake News exige cadastramento de celular dos usuários das redes sociais