Telecom Italia reafirma independência, amplia investimentos e acelera a 3G.


Há um mês no controle da Telecom Italia, o novo presidente do grupo, Gabriele Galateri di Genola, e o CEO, Franco Bernabè, desembarcaram ontem no Brasil e encontram-se hoje  com o presidente Lula e a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, para reafirmar a independência da Tim brasileira frente à Telefônica (que ingressou no capital …

Há um mês no controle da Telecom Italia, o novo presidente do grupo, Gabriele Galateri di Genola, e o CEO, Franco Bernabè, desembarcaram ontem no Brasil e encontram-se hoje  com o presidente Lula e a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, para reafirmar a independência da Tim brasileira frente à Telefônica (que ingressou no capital da operadora italiana), e informar ao governo a disposição do grupo de ampliar os investimentos no Brasil. “ Estamos fechando o orçamento para o triênio 2008/2010, mas já sabemos que eles serão superiores ao projetado para o triênio 2007/2009, quando prevíamos investir R$ 6 bilhões”, afirmou Bernabè.

E, segundo o presidente da operadora brasileira, Mario Cesar Araujo, que acompanha os executivos no périplo com as autoridades brasileiras, os recursos serão canalizados para a aceleração da construção da rede de terceira geração de telefonia móvel, que já deverá estar pronta em diferentes cidades brasileiras ainda neste trimestre. “Nós vamos acelerar a 3G e estaremos com o novo serviço em muitas cidades brasileiras, neste primeiro trimestre, pois a mobilidade exige a presença nacional”, vaticinou Araujo.

Segundo Galateri, a Telecom Italia já entregou à Anatel a nova documentação – principalmente o novo contrato de acionistas, que tem que prever a criação de uma ação de classe especial para a Telefônica, de maneira a caracterizar que ela fique sem qualquer poder de veto ou voto nas decisões que digam respeito à Tim Brasil – e a expectativa da empresa é que a agência aprove os novos contratos. “Nós estamos aqui para reafirmar que o Brasil é fundamental para a Telecom Italia”, afirmou o novo chairman.

“Habemos Papa”

Para o presidente da Tim Brasil, Mario Cesar Araujo, a vinda dos principais executivos da controladora ao país é a confirmação de que o grupo italiano continua a ter o Brasil como o mercado prioritário fora da Europa, e, por isso, é preciso por um fim às especulações sobre o futuro da empresa. “Habemos Papa! E  esse recado nós passamos para todos os nossos empregados e fornecedores, de maneira a acabar com qualquer instabilidade ou especulação sobre o compromisso do grupo”, completou Araujo.

WiMAX

Araujo reafirmou ainda o interesse da Tim em adquirir licenças do WiMAX, quando o novo leilão for lançado pela Anatel, mas assinalou que, para a empresa, esta tecnologia é apenas complementar à 3G, já que, observa, o preço dos aparelhos dos terminais WiMAX ainda é muito alto. “O custo do aparelho é fundamental para uma operadora móvel”, assinalou.

Anterior Empresas nacionais se reúnem para definir consórcio do WiMAX
Próximos Para Tim, fusão Oi/BrT promoverá mudanças no cenário competitivo.