Telecom Italia confirma querer sair da Argentina


 O CEO da Telecom Italia, Franco Barnabé, em entrevista à impresna italiana, na semana passada, confirmou o interesse de vender a participação na Telecom Argentina. O executivo afirmou que "se recebesse ofertas interessantes, poderia levar em consideração uma venda, mas não é objetivo da companhia". Na semana passada, jornais argentinos informavam que a empresa já …

 O CEO da Telecom Italia, Franco Barnabé, em entrevista à impresna italiana, na semana passada, confirmou o interesse de vender a participação na Telecom Argentina. O executivo afirmou que "se recebesse ofertas interessantes, poderia levar em consideração uma venda, mas não é objetivo da companhia". Na semana passada, jornais argentinos informavam que a empresa já teria até contratado o banco que estaria realizando a "due dilligence". O grupo italiano está em litígio com o sócio argentino, Werthein, que teria o apoio do governo Kirchner e teve uma decisão contrária a seus interesses da agência regulatória argentina. Ao contrário da decisão da Anatel, que impôs condições para que a espanhola Telefónica não interfira nas decisões da TIM Brasil, na Argentina, o órgão regulador decidiu impedir que os representantes da própria Telecom Italia comandassem a operação argentina, também devido ao ingresso da operadora espanhola no controle da Telecom Italia.

Apesar de a TIM Brasil ter tido a aprovação da Anatel, que estabeleceu um grande número de restrições à Telefónica e aceitou as novas medidas propostas pelo grupo italiano, está em litígio com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) brasileira. A CVM está querendo que a Telecom Italia cumpra o tag along e repasse também o prêmio de controle para os acionistas minoritários da TIM Brasil, por entender que o ingresso da Telefónica no capital da Telecom Italia, através da holding Telco, representa mudança de controle acionário. ( Da redação, com agências)

Anterior Indústria quer prorrogação de prazo para fabricação de TV analógica
Próximos Telefônica explica à CVM medidas de resgate do Speedy