Telebras vai ter banda larga nas cidades da Copa, apesar do acordo da Oi com a Fifa.


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou  durante a ABTA 2011, que a Telebras irá construir a rede de banda larga em todas as cidades-sede e cidades que receberão os atletas da Copa do Mundo, iniciativa que será incluída o PPA (Plano Plurianual), lei votada pelo Congresso Nacional que lista os programas prioritários do governo federal para a destinação de recursos orçamentários.

Segundo o ministro, os possíveis problemas que poderiam ocorrer com o contrato da Oi e Fifa – comenta-se no mercado que a Oi teria pago mais de R$ 300 milhões para ter a exclusividade da operação dos serviços de telecom nas cidades da Copa – pela a interferência da Telebras não dizem respeito ao governo. “Não interessa ao governo o acordo da Oi com a Fifa. O governo não vai custear a iniciativa privada. A Telebras vai construir a sua rede, vai baratear o tráfego e vai ficar com este ativo”, afirmou Bernardo.

Eletrobras

Segundo o ministro, amanhã, dia 10, será publicada uma portaria interministerial dos Minicom e Ministério das Minas e Energia criando um grupo técnico para estudar a parceria entre a empresa de energia elétrica e  de telecomunicações.

Bernardo disse  que dos R$ 9,5 bilhões de investimentos da Telebras aprovados na semana passada por seu conselho de administradção, pelo mens R$ 1 bilhão por ano estará garantido pelo Tesouro Nacional. O restante, o governo pretende arrecadar de investidores privados, fundos de pensão e até do sistema Eletrobrás. “Já fui procurado por bancos privados interessados em investir com a Telebras na construção dos cabos submarinos”, exemplificou.

Bernardo disse ainda que as cerca de 30 cidades envolvidas com a Copa do Mundo já estarão com a rede de quarta geração da telefonia móvel em funcionamento, explorada pela iniciativa privada em 2014. O leilão de frequência, espera ele, deverá ser lançado pela Anatel no próximo ano.      

Anterior Redução de imposto para a banda larga será amortecedor para a crise econômica, afirma Bernardo
Próximos Eduardo Braga diz que PLC 116 pode ser votado amanhã