Telebras terá CDN para levar conteúdo às escolas públicas


A empresa irá investir R$ 240 milhões na construção das redes metropolitanas em 21 capitais e cidades de grande porte, mas não pretende competir com as operadoras que já estão no mercado. “A rede é neutra”, diz Jorge Bittar.

A Telebras pretende  diversificar a sua oferta de serviços, informa seu presidente, Jorge Bittar. Um dos projetos da empresa neste sentido é montar um centro de distribuição de conteúdo (CDN) cultural e educativo, para levar conteúdos pedagógicos às escolas brasileiras. Para isso, a Telebras tem avançado em negociações com os ministérios da Educação e da Cultura, que possuem os conteúdos necessários para atender a essa demanda.

O presidente da Telebras vem atuando junto à área econômica do governo no sentido de garantir a liberação dos recursos necessários para os investimentos previstos da empresa. “Precisamos de investimentos para ampliar a nossa capacidade de atendimento e gerar caixa para a empresa. Se não avançarmos nesse sentido, não teremos como ampliar os nossos contratos comerciais para conseguirmos esse equilíbrio econômico-financeiro”, argumenta.

 Bittar destaca que o investimento de R$ 240 milhões que serão aplicados na construção de redes metropolitanas em 21 capitais e cidades de grande porte neste ano é justamente para ampliar a capilaridade da empresa e assim atender tanto as redes seguras de governo quanto os pequenos provedores por meio do PNBL.“Esses investimentos não significam que a Telebras pretende concorrer com as operadoras que já estão no mercado. Ao contrário, a nossa rede é neutra e complementar ao sistema de telecomunicações existente. A Telebras possui um backbone moderno e de alta capacidade e preciso chegar aos clientes por meio das redes metropolitanas”, explica.

A Telebras já possui parte dessa rede metropolitana construída nas 12 cidades que foram sedes da Copa do Mundo de 2014 e agora será ampliada para atender à demanda crescente da empresa. Para viabilizar a construção das redes metropolitanas, a Telebras tem feito parcerias com as prefeituras municipais de várias capitais, a exemplo de São Paulo, Porto Alegre, Curitiba, entre outros, para passagem de fibras ópticas nos dutos subterrâneos já existentes e utilizados por empresas municipais. (assessoria de imprensa).

 

Anterior Novo satélite da Eutelsat deve entrar em operação comercial no próximo mês
Próximos Na inauguração da BrPhotonics, Berzoini defende política industrial com foco em inovação