Telebras vai renovar terceirização da operação do Centro de Gerência de Rede


NOC-TelebrasDentro de sua estratégia de terceirizar os serviços de operação e manutenção, que inclui a operação do seu backbone nacional e dos centros de controle do satélite (parte terrestre) e a comercialização do próprio satélite, a Telebras vai renovar a terceirização da operação do seu Centro Integrado de Gerência de Rede – CIGR, instalado em Brasília. O contrato é de 60 meses e dele não poderão participar consórcios de empresas.

O edital envolve o gerenciamento e operação de todos os equipamentos e tecnologias que compõem a Rede Telebras, bem como dos serviços providos através desta rede aos clientes e parceiros da Telebras, internos e externos. Caberá anda ao contratado gerenciar e operar redes, equipamentos e serviços em locais remotos, de acordo com a conveniência da Telebras, atendendo ao detalhamento do objeto descrito no Termo de Referência.

Para tomar esta e outras decisões relativas à terceirização, a estatal alega “não possuir em número suficiente, com as especialidades, formações, conhecimentos e certificações exigidas , empregados que possam contemplar as demandas existentes e futuras a que a Telebras desenhou em seu plano estratégico.”

A audiência pública, marcada para o dia 24 de março, terá início às 9 e 30, no seguinte endereço: SIG – Quadra 04 – Bl. A – Salas 201 a 224 – Edifício Capital Financial Center – Brasília – DF. Telefone: 61-2027.1205.

Anterior Telebras vai terceirizar operação e manutenção de toda sua rede. E dos centros de operação do satélite
Próximos Diário Oficial publica prorrogação por 60 dias da consulta do PGO

2 Comments

  1. Divanilson Gonçalves da Silva
    6 de Março de 2017

    a estatal alega “não possuir em número suficiente, com as especialidades, formações, conhecimentos e certificações exigidas , empregados que possam contemplar as demandas existentes e futuras a que a Telebras desenhou em seu plano estratégico.”

    Neste caso qual o motivo de não chamar os concursados ou fazer outros concursos para suprir as deficiências?

    • Gabriel
      6 de Março de 2017

      Não gerar mais gastos públicos, que se traduzem em mais impostos. Certamente é mais caro contratar um concurseiro, com todos seus encargos (que chamam de direitos ou estabilidade) do que uma empresa privada. É um belo motivo.

      Manda tudo para o setor privado!