Telebrás propõe a tecnologia DWDM para compor sua rede


A Telebrás abriu nesta sexta-feira, dia 17, consulta pública sobre o Termo de Referência para contratação de solução baseada na tecnologia DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) para compor a rede de telecomunicações nacional, incluindo fornecimento, com garantia e assistência técnica, equipamentos DWDM, plataforma de gerência, serviços de instalação, treinamento e operação inicial. As contribuições serão aceitas até o dia 1º de outubro.

Depois de analisar as contribuições, a estatal lançará o edital de compra ainda em outubro. A transação será feita por meio de pregão e na modalidade de registro de preço, o que dará flexibilidade à disponibilidade orçamentária da estatal para implementação da rede. Empresas estrangeiras que não funcionem no país, empresas em consórcio, fundações de qualquer natureza e sociedades cooperativas não poderão participar do pregão.

Segundo o Termo de Referência, a solução proposta em conjunto com as fibras ópticas irá formar o Backbone Óptico, que é a camada óptica de transporte de dados da rede de telecomunicações nacional. Essa infraestrutura usará como a base a topologia em anéis e será composta de três anéis DWDM interconectados: Anel Sudeste, Anel Nordeste, Anel Sul e terá ramificações na região Norte e Centro-Oeste, conforme trajeto de fibras ópticas a serem utilizadas.

Segundo informações da Telebras, a solução escolhida possibilitará a transmissão de dados da ordem de terabits por segundo em um único par de fibras ópticas. Também agregará flexibilidade e a escalabilidade à rede porque permite estender gradualmente a sua capacidade, por meio da adição de comprimentos de onda, atendendo as demandas de crescimento do tráfego de dados. Os equipamentos serão instalados em cada um dos Pontos de Presença (POPs) da rede que estão estimados em 241 até 2012. O Anel Sudeste, com 3.872 km de fibras ópticas, terá 59 POP’s. O Anael Nordeste, com 5.941 km de fibras, contará com 73 POP’s e o Anel Sul, que conta 2.982 Km de fibras, funcionará com 32 POP’s. Além disso serão necessários 77 POP’s para interligação com o Anel Norte, que tem 6.364 km de fibras ópticas.

Prazos de entrega

Após a licitação, a entrega dos equipamentos, instalados, configurados e integrados à gerência, para os 59 POP’s do Anel Sudeste, deverá seguir o seguinte cronograma:
Lote 1 – 32 POP’s até 30 dias após a emissão da ordem de serviço;
Lote 2 – 14 POP’s até 45 dias após a emissão da ordem de serviço;
Lote 3 – 13 POP’s até 60 dias após a emissão da ordem de serviço.

Para os 73 POP’s do Anel Nordeste, a entrega deverá seguir o seguinte cronograma:
Lote 1 – 36 POP’s até 30 dias após a emissão da ordem de serviço;
Lote 2 – 37 POP’s até 60 dias após a emissão da ordem de serviço.

Já, para os 32 POP’s do Anel o prazo de entrega é de até 45 dias após a emissão da Ordem de Serviço. Enquanto a entrega para os 77 POP’s da Região Norte seguirá o cronograma abaixo:
Lote 1 – 38 POP’s : em até 45 dias após a emissão da Ordem de Serviço;
Lote 2 – 39 POP’s: em até 60 dias após emissão da Ordem de serviço.

A íntegra do Termo de Referência está disponível nos seguintes endereços na internet http://www.telebras.com.br/ ou https://www.consultas.governoeletronico.gov.br/ConsultasPublicas/index.do (Da redação)

Anterior Decisão sobre licenças de TV a cabo sairá só no final de novembro
Próximos Fabricante do Blackberry tem lucro recorde