Telebras pode discutir novo modelo de parcerias com as elétricas


O contrato fechado entre a Telebras e a Eletrosul, que prevê partição de receita na oferta conjunta de serviços, poderá servir de parâmetro para que a operadora rediscuta suas parcerias no setor elétrico. As tentativas de envolver mais as elétricas na oferta de serviços de banda larga vem se desenvolvendo nos últimos anos e eram vistas como uma forma de acelerar o PNBL (Programa Nacional de Banda Larga).

Segundo Arthur Dayrell, diretor comercial da empresa, em 2010 a proposta da empresa era de aproveitar a fibra óptica das elétricas para que a companhia pudesse ter seu backbone e, dessa forma, levar banda larga nas regiões onde não há interesse econômico. Agora, o desafio é outro e está muito mais voltado para garantir ganhos para todas as empresas que participam do projeto.

O contrato com a Eletrosul, ampliado há dois anos, prevê uma atuação conjunta para a oferta de serviços e consequente partição das receitas. Também dá direito à Telebrás instalar equipamentos no backbone que ampliem a qualidade das redes. “Esse deve ser um modelo a ser discutido, mas podem haver outros em debate”, ressaltou o executivo.

PUBLICIDADE
Anterior Consolidação da Oi e TIM é positiva, mas há entraves competitivos, alerta Carlos Zenteno
Próximos TIM quer levar 4G para 90% dos brasileiros em dois anos