Telebras aplica só 4,9% do orçamento entre janeiro e abril


Designed by Freepik
Designed by Freepik

A Telebras aplicou, até o segundo bimestre, 4,9% do seu orçamento, estabelecido em R$ 1,017 bilhão. Entre março e abril, a estatal investiu R$ 32,9 milhões e, de janeiro a abril, R$ 50 milhões.

Já os Correios, com orçamento de R$ 921,9 milhões, aplicaram 7,9% até abril. No segundo bimestres, os gastos ficaram em R$ 42,2 milhões e de R$ 73,1 milhões nos primeiros quatro meses de 2019.

A Finep, com orçamento de R$ 92,9 milhões, usou apenas R$ 294 mil ou 0,3% dos recursos previstos para a agência este ano.

As empresas ligadas ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações juntas, têm orçamento de R$ 2,032 bilhões em 2019. Já o orçamento para as 84 estatais é de R$ 120,1 bilhões. Esse montante agregava dotações para a execução de obras ou serviços em 240 projetos e 254 atividades.

Anterior Anatel dá incentivo ao atendimento digital nos sites das operadoras móveis
Próximos Inmarsat contrata Airbus para a construção de mais 3 satélites

1 Comment

  1. Ralf
    6 de junho de 2019

    Sr Fábio, os Correios dependem dos impostos que a população paga com seu suor, assim como o senhor e milhares de secretarias Brasil afora dependem? Não.
    Alguma outra empresa de transportes detêm escritórios em todo o território nacional? Não. (Porque será).
    Se uma franquia paga seus débitos todos, incluindo funcionários, e inclusive a porcentagem mensal aos Correios, e ainda obtem bom lucro, qual o motivo q se tem para franquear ao invés de a empresa assumir integralmente essa agência?
    Achas que a empresa que porventura ganhar a privatização manterá balcão de atendimento em todos municípios? E se, caso de força de lei, se obrigará a manter, achas que assumirá a despesa? Ou quem vai pagar o pato é a população, com o consequente aumento em disparada dos preços, pra compensar a defasagem? (Afinal, nenhuma empresa privada vai entrar no jogo pra ter prejuízo ou ficar no empate, não é mesmo?). A ISSO DAMOS O NOME DE CUNHO SOCIAL.

    Só pra constar, o Correio não necessita visar lucro… apenas capital de giro. A única obrigação do Correio visa a integridade total do território do país, cobrando as menores taxas possíveis, para desse modo alavancar a economia principalmente do micro e pequeno empresário dos mais distantes rincões.
    Essa é sua meta. Apenas essa.
    E não me diga que a empresa vencedora terá como meta principal o cunho social no pais. Sua meta é o lucro, muito lucro. Que o diga a Amazon, candidata à compra.
    Correio não precisa ser competitivo. Precisa integrar a nação e pensar nos milhões de brasileiros mais pobres.