Denúncia de ação de intermediárias que encarecem serviço de banda larga


O presidente da TelComp, João Moura, pediu atenção da agência regulatória para o que chamou de ” micro PMS” , agentes que estão ocupando espaço no meio da cadeia de valor da banda larga e cobrando preços abusivos para intermediarem posições à prestação dos serviços pelas operadoras. Como exemplo, ele citou as administradoras de condomínios e de grandes prédios corporativos, que pedem até percentual do valor de serviço das operadoras para o aluguel de armários.

“Essas empresas perceberam que existem carências dentro da cadeia de banda larga, em função da demanda reprimida, encarecendo excessivamente os custos das operadoras”, disse Moura. Outro setor que vem funcionando como micro PMS são as empresas administradoras de rodovias, copiando práticas já existentes em outros mercados.

“É uma questão desafiadora, mas que precisa ser enfrentada para evitar fechamento de mercado”, disse Moura. Ele foi um dos palestrantes do 32º Encontro Tele.Síntese, que acontece hoje em Brasília.

Anterior O sucesso do PGMC vai depender de sua implementação, diz advogado.
Próximos BC quer m-payment em sistema aberto, interoperável e com múltiplos serviços