TCU nega pedido do Sinditelebrasil para suspender contratos da Telebras com órgãos federais


A ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), Ana Arraes, indeferiu na terça-feira, 7, pedido de medida cautelar requerida pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil) contra cinco contratos firmados entre a Telebras e os Ministérios da Defesa e do Trabalho, ANTT, Ibama e Dataprev.

No pedido, o sindicato alega ausência de previsão legal para a atuação da Telebras como empresa fornecedora de serviços de telecomunicações e suposta ilegalidade na contratação direta desses órgãos de governo.

Em seu despacho, a ministra acatou a avaliação da área técnica do TCU, a Secretaria de Fiscalização de Infraestrutura Hídrica, de Comunicações e de Mineração – SeinfraCOM, de que não há elementos suficientes para considerar caracterizados os pressupostos cautelares.

Segundo a Telebras, a decisão reforça o entendimento da diretoria da estatal acerca da legalidade dos contratos e da atuação da companhia como empresa operadora de serviços de telecomunicações, conforme previsão contida no Decreto nº 7175/2010. “Esse decreto representa a base legal para a atuação da Telebras, especialmente para os órgãos de governo, que necessitam de serviços de telecomunicações”, diz Jarbas Valente, presidente da Telebras. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Dona da Nextel amplia emissão de títulos conversíveis
Próximos Menos da metade das redes móveis da América do Sul são LTE-Advanced