Tarso Genro pede regulamentação urgente das escutas telefônicas


O ministro da Justiça, Tarso Genro, defendeu hoje (28), em audiência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, a regulamentação das escutas telefônicas no país. Segundo ele, atualmente há uma "síndrome da gravação, de criminosos a serviço de alguém para obter informações que possam ter algum tipo de valor político". "Eu mesmo fico …

O ministro da Justiça, Tarso Genro, defendeu hoje (28), em audiência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, a regulamentação das escutas telefônicas no país. Segundo ele, atualmente há uma "síndrome da gravação, de criminosos a serviço de alguém para obter informações que possam ter algum tipo de valor político".

"Eu mesmo fico em dúvida se devo falar determinados assuntos em conversas no telefone celular", disse. Tarso lembrou que o Ministério da Justiça remeteu recentemente ao Congresso Nacional projeto de lei sobre o assunto. "Queremos colaborar com esta Casa para que a matéria seja votada rapidamente", afirmou.

A opinião é a mesma do diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, que também participou do encontro. "É um método (a interceptação telefônica) de investigação fundamental para determinados crimes em que não há provas materiais. Queremos o máximo de controle. A interceptação é para produzir provas, não espionagem", defendeu. De acordo com Corrêa, 3% dos atuais 150 mil inquéritos em andamento na Polícia Federal usam este tipo de técnica. (Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Telmex tem queda de 15% no lucro
Próximos Comissão do Senado defende separação estrutural nas teles