Notícias com o tag

segurança cibernética


As redes de 5G, afirma o diretor de Cyber Security Global da Huawei, Marcelo Motta, são bem mais seguras do que as aplicações de internet que passam sobre essas redes e lembra os recentes exemplos de quebra de privacidade, que ocorreram com as empresas de internet. Com a recente portaria do GSI, a Huawei manterá sua presença no Brasil, apesar da pressão dos Estados Unidos pelo seu banimento.

Para os fabricantes, a Instrução Normativa do governo publicada hoje confirma que a 5G é muito mais potente do que uma mera evolução tecnológica do celular.

Instrução normativa não fala de cotas para fornecedores, mas exige possibilidade de auditoria dos sistemas para evitar backdoors e operadoras em “mesma área geográfica” tenham fornecedores distintos.

Negócio fotografia desenhado por Onlyyouqj - Freepik.co

Texto está de acordo com a Estratégia Nacional de Segurança Cibernética, denominada E-Ciber, estabelecida pelo governo

Esse tipo de restrição é prática incomum em telecom, mas é preciso esperar o edital para realizar auditoria, afirma Uriel Papa, secretário de Infraestrutura Hídrica, Comunicações e Mineração da Corte de Contas

Agência reguladora já tem proposta para regulamentar a segurança cibernética, que já passou por consulta pública e deve ser votada em breve

Negócio fotografia desenhado por Onlyyouqj - Freepik.co

Objetivo faz parte da Estratégia Nacional de Segurança Cibernética, publicada nesta quinta-feira. Para o presidente da Anatel, Leonardo de Morais, o decreto é muito bem-vindo. Para ele, a estratégia aponta a relevância das agências reguladoras para a adoção de procedimentos de segurança cibernética pelos entes regulados.

Negócio fotografia desenhado por Onlyyouqj - Freepik.co

A E-Ciber ficará em consulta até 1º de outubro. Iniciativa traz 10 ações estratégicas para ampliar a cibersegurança no Brasil.

Empresa cria os cargos de vice-presidente, ocupado por Angelo Guerra, e de vice-presidente de segurança cibernética, ocupado por Rogério Reis.

Para a Telefônica, obrigações regulatórias nesse campo engessam o setor e causam reflexos negativos aos usuários, como o encarecimento dos serviços. O procon SP acha que o regulamento deve se aplicar a todas as operadoras, e não só às grandes.