Notícias com o tag

recuperação judicial Oi


Operadora diz que redução do caixa era esperada pois ampliou os investimentos em infraestrutura óptica e móvel.

Conselho de administração da companhia ainda definirá oficialmente nome do substituto, que deverá ser homologado pela Justiça. Por enquanto, não há mudança no comando operacional, de responsabilidade do ex-integrante do conselho Rodrigo Abreu.

Justiça ainda precisará se manifestar. Prazo inicial previa término da RJ em 4 de fevereiro de 2020.

Rodrigo Abreu diz que o segmento móvel gera valor para a companhia: “protegeremos essa capacidade para que possam ser tomadas as melhores decisões de evolução futura”.

Para Eurico Teles e Rodrigo Abreu, respectivamente presidente e COO da Oi, plano estratégico apresentado em julho coloca a operadora nos trilhos para retomar o crescimento. Nesta entrevista, os executivos reafirmam a importância do segmento móvel, os prazos de venda de ativos não estratégicos, apontam para participação no próximo leilão de espectro e manutenção do capex em R$ 7 bilhões também em 2020.

Empresa ressalta que plano de recuperação judicial prevê aumento de capital, emissão de dívida garantida e obtenção de financiamento para importação de equipamentos.

Conselho menciona venda de ativos e emissão de dívida como possíveis fontes de dinheiro para a empresa. Na mesma linha, diretoria diz que controle de custos e venda de ativos “já se encontram em curso e alinhados com o cronograma planejado”.

Leonardo de Morais negou informações veiculadas hoje pelo jornal O Estado de S.Paulo, segundo as quais o recente prejuízo da Oi repercutiu no governo e teria elevado as chances de intervenção na empresa ou declaração de caducidade de suas outorgas de STFC.

CFO da operadora diz que queima de caixa ocorrida no 2º tri já era esperada e que confia na venda de ativos ainda este ano para reforçar reservas. Mas não descarta fazer novo aumento de capital, emitir debêntures ou obter financiamento com fornecedores.

Receita líquida caiu 8,2%, dívida líquida cresceu 26,6% e prejuízo foi de R$ 1,55 bilhão, 24% maior do que mesmo período de 2018. Mas a empresa amplia os investimentos, e investiu R$ 2 bilhões em três meses. No semestre, o Capex foi de R$ 3,78 bilhões. Levou fibra para 800 mil novas residências no período.