Notícias com o tag

compartilhamento de infraestrutura


Para Ana Luiza Valadares, do Facebook, as operadoras de telecomunicações precisam também ser menos reguladas

Para a agência de energia elétrica o aumento dos litígios quanto ao preço de referência estabelecido há quatro anos, que está em R$ 3,80 por poste, demonstra que essa questão está mal resolvida.

Claro, Oi, TIM e Telefônica Vivo estão trabalhando para cumprir determinação da Anatel e Aneel, de limpar 2,1 mil postes da Eletropaulo. Poderá haver uma pequena extensão de prazo.

A Anatel e Aneel estão revendo a portaria conjunta, publicada em 2014, que definiu o preço e as condições para o compartilhamento dos postes das concessionárias de energia elétrica para as operadoras de telecom.

Oi e TIM assinam memorando de entendimento para renegociar preços cobrados pela concessionária na banda larga de atacado. Também avisam que vão aumentar o número de sites 4G compartilhados.

A Rede Nacional de Pesquisa ganhará mais capilaridade e capacidade e as concessionárias receberão investimentos em seus backbones

Passados três anos da publicação da resolução conjunta Anatel e Aneel que definiu o preço de R$ 3,19 como valor máximo para ser cobrado pelas concessionárias de energia elétrica para a fixação de cabos de telecom em seus postes, ainda há muita resistência, por parte das empresas de energia, em cumprir essa norma. Mesmo depois de decisão da comissão de arbitragem (formada por representantes das duas agências) as empresas de energia recorrem da decisão, e operadoras de telecom não conseguem fechar o preço estabelecido. Agora, as teles começam a ganhar na justiça a disputa.

Foto: Gabriel Jabur

Para José Gonçalves Neto, os acordos negociados com a Anatel devem ser preservados.

A Anatel publicou hoje, 5 a consulta pública sobre compartilhamento de infraestrutura de telecom, que ficará aberta até o dia 4 de novembro. Há várias exceções para a obrigatoriedade de compartilhamento de antenas de celular com menos de 500 metros de distância. Entre elas, se não estiverem instaladas nos telhados de prédios, se não tiverem em “harmonia à paisagem”, se não tiverem sido instaladas depois de 5 de maio de 2009, se não tiverem irradiando mais de 80% de exposição ao limite da radiação não ionizante, entre outros.

O acordo entre as duas operadoras prevê o compartilhamento entre Vivo e Nextel em todas as tecnologias – 2G, 3G, 4G – tanto dos elementos irradiantes, como parte do core da rede. E estabelece ainda que novas tecnologias poderão ser incluídas.