Streaming de música da Apple terá curadores e estação de rádio


A Apple anunciou hoje (8) o Music, seu serviço pago de streaming de música. O aplicativo tem ainda uma rádio digital com programação feita por curadores da empresa e ferramentas sociais para interação entre fãs e músicos. Como o Spotify, o app ainda traz a possibilidade de os fãs escutarem listas de reprodução criadas por celebridades.

iPhone6-Apple-MusicO aplicativo funciona tanto nos aparelhos da empresa com iOS, como em smartphones e tablets Android e em PCs com Windows. O lançamento oficial acontece em 30 de junho, em 100 países. O serviço custará US$ 9,99 por mês, nos Estados Unidos. haverá um plano familiar, para até seis integrantes, por  US$ 14,99 ao mês.

iOS 9
A empresa de Tim Cook também mostrou detalhes do novo sistema operacional para seus smartphones e tablets. O sistema estará disponível no terceiro trimestre. Trará novas funções de busca, e mais recursos para a Siri (sistema de reconhecimento de fala). No iPad, a plataforma terá multitarefa com duas janelas abertas ao mesmo tempo, lado a lado.

iPadAir2_iOS9_SplitViewO sistema vai se tornar mais “contextual”, com a capacidade de compreender os hábitos do usuário, recomendando que músicas ouvir em certos momentos do dia, por exemplo. Ao marcar um compromisso na agenda, o aplicativo de mapas vai avisar a melhor hora para sair de casa a fim de se chegar a tempo. Recursos já conhecidos entre os usuários do Google Now, no Android.

Também trará um novo aplicativo para consumo de notícias. O News App mistura a apresentação de evista à interatividade digital, segundo a empresa. Armazena dados de navegação, aprendendo os interesses do usuários automaticamente. A companhia propõe o uso de um novo formato de publicação de notícias, que permite uso de animações e criação de apresentação personalizada para diferentes notícias, por parte das produtoras de conteúdo.

Programas de fidelidade e Watch
O Apple Pay, sistema de pagamentos móveis da empresa, também foi atualizado. O sistema passa a ser aceito em mais lojas nos Estados Unidos, e desembarca, oficialmente, na Europa, pelo Reino Unido no próximo mês. Também ganha a função de armazenada cartões de programas de fidelidade, numa espécie de carteira digital. O Pay também passa a aceitar cartões de débito (era restrito a crédito).

A companhia também anunciou uma reforma no watchOS, o sistema operacional de seu relógio inteligente. No watchOS 2, os desenvolvedores terão mais liberdade para criar apps nativos, capazes de altera a exibição do conteúdo ou funcionamento dos botões. A software também será distribuído a partir do terceiro trimestre.

Anterior Justiça abre consulta na internet para combate à corrupção
Próximos Câmara aprova novas regras para contrato de adesão, como o de telefonia