Stefanini faz joint-venture com empresa israelense para segurança cibernética


shutterstock_Maksim Kabakou_internet_seguranca_virusStefanini planeja criar uma joint-venture com uma das maiores empresas de defesa israelense, a Rafael. Essa joint-venture oferecerá um conjunto de soluções de combate ao crime cibernético e ao terrorismo, bem como soluções avançadas de inteligência.

A Rafael Advanced Defense Systems é uma desenvolvedora de sistemas inovadores, tais como o Iron Dome, sendo responsável por um dos maiores projetos de segurança cibernética em Israel, atuando também em projetos relacionados à área de Defesa no Brasil.

Para o diretor geral da joint-venture no Brasil, Carlos Alberto Costa, além da segurança da infraestrutura de tecnologia e das informações, as soluções terão um foco importante na segurança da automação industrial, especialmente neste momento em que a Internet das Coisas (IoT) é apontada pelas consultorias internacionais como uma das principais tendências tecnológicas para 2016, criando assim a necessidade de novas arquiteturas de segurança para identificar, responder, bloquear e contra-atacar tentativas de invasão aos sistemas corporativos.

De  acordo com o Gartner, haverá mais de 4,9 bilhões de dispositivos conectados à Internet este ano, o que representa um aumento de 30% em relação a 2014. Para os próximos cinco anos, este número atingirá 25 bilhões. Neste cenário, a segurança terá um papel estratégico e, de acordo com a consultoria, mais de 20% das empresas terão até 2017 serviços de segurança digital para proteger os projetos de Internet das Coisas.( assessoria de imprensa)

Para atender a essa demanda e reduzir o gap que existe em segurança cibernética, a Stefanini, que já trabalha com segurança de infraestrutura, decidiu investir na parceria para levar tecnologia de ponta para o mercado financeiro e para outras verticais, que ainda não possuem a tradição de investir em projetos robustos de segurança para prevenir a invasão de sistemas e vazamento de informações confidenciais.

Além das soluções de cybersecurity, esta joint-venture trará para o Brasil soluções avançadas de inteligência para lidar com o desafio de explorar grandes volumes de dados. Isto irá contribuir com as investigações policiais, adicionando inteligência ao processo de investigação, inclusive com a possibilidade de automatizar algumas tarefas, utilizando big data para análise detalhada de quaisquer provas coletadas. Também contribuirá com sistemas avançados de monitoramento de imagens digitais em vários setores: agronegócio, monitoramento de barragens, gasodutos, setor elétrico e linhas de transmissão.

Anterior Fusão de operadoras de celular inglesas em xeque
Próximos CCT do Senado vai investigar fundos de C&T ao longo do ano