Spam telefônico automatizado dispara no mundo


A quantidade de chamadas telefônicas indesejadas recebidas por usuários de telefones móveis cresceu 325% em 2018. O aplicativo de bloqueio de chamadas Hiya apresentou hoje, 27, no MWC19 seu primeiro radar de “chamadas robóticas” e concluiu que, em 2018, nada menos que foram feitos 85 bilhões de spams telefônicos no ano que passou.

A empresa fez a estimativa com base em 12 bilhões de chamadas analisadas pelo seu aplicativo em todo mundo. Descobriu que 10 países se destacam na quantidade de spam telefônico: Espanha, Reino Unido, Itália, França, Argentina, Estados Unidos, México, Brasil, Chile e Austrália.

O caso da Espanha é alarmante. A empresa calcula que 24% dos telefonemas recebidos pelas pessoais no país sejam spam. O Brasil, que ocupa a oitava posição neste nada prestigioso ranking tem um índice bem menor: 9%. Os números são estimativas baseadas na quantidade de bloqueios feitos pelo app e a quantidade de usuários ativos em um país. Em média, o espanhol recebe 9 chamas de spam por mês, enquanto o brasileiro, 8.

Há diferença, porém, no tipo de spam. Por aqui, as chamadas indesejadas são golpes de falso sequestro ou esquemas em que a vítima é convencida a comprar passagens de ônibus ou avião. Na Espanha, a maior parcela dos spams está relacionada a um golpe em que a vítima deve retornar a ligação para um número internacional a fim de ganhar prêmios, mas é realizada uma alta cobrança pela chamada, sem que haja premiação alguma. Outro tipo comum é o de pessoas que se passam pelo gerente do banco para obter informações privadas e conseguir acesso à conta bancária da vítima.

Anterior Cade condena cartel no mercado de componente para monitores e notebooks de LCD
Próximos Telefónica e Ericsson firmam contrato de serviços gerenciados

1 Comment

  1. TV Paga da Depressão
    27 de Fevereiro de 2019

    No Brasil não é só isso que foi levantado. Aqui os spams são também de bancos como Santander (esse é campeão no quesito de irritabilidade) e Banco do Brasil, além da Vivo, TIM e Nextel.