Sob COVID-19, serviços de comunicação recuam 2,5% em maio


Os serviços de informação e comunicação caíram 2,5% em maio frente a abril, impactados pela pandemia do novo coronavírus, conforme indica pesquisa do IBGE divulgada nesta sexta-feira, 10. A maior queda veio do audiovisual, que recuou 4,1%, seguida do segmento de TI, com perda de 2,6%. TIC apresentou queda de 1,7% e telecomunicações caíram 1%. 

Na comparação com maio de 2019, os serviços de informação e comunicação caíram 9%, impactados principalmente pelo resultado na área de audiovisual, que despencou em 36,5%. Telecomunicações recuaram 5,2% e TIC, ficou com –5,1%. Já TI recuou 4,7%. 

As maiores baixas vieram dos serviços de telecomunicações; programadoras e atividades relacionadas à televisão por assinatura; atividades de TV aberta; desenvolvimento e licenciamento de softwares; consultoria em tecnologia da informação e exibição cinematográfica. Na comparação anual, além dos serviços descritos, recuaram também as operadoras de TV por satélite. 

PUBLICIDADE

No acumulado do ano, os serviços de informação e comunicação recuaram 2,5%, queda puxada pelo desempenho do audiovisual, que recuou 15,9% e das telecomunicações, com variação negativa de 3,9%. TIC recuou 0,6% e TI avançou 5,7%. 

Quando a comparação é dos últimos 12 meses, os serviços de informação e comunicação apresentam taxa positiva de 0,8%, influenciada pela área de TI, que teve alta de 9,1%. TIC também apresenta resultado positivo em 1,5%. Já audiovisual, com menos 4,2% e telecomunicações com queda de 2,3% puxaram para baixo a taxa. 

Os serviços como um todo, após o tombo recorde registrado em abril (-11,9%), recuou 0,9% em maio, apontando ainda efeitos das medidas de isolamento social para conter a pandemia de Covid-19. É a quarta taxa negativa consecutiva do setor, que acumula uma perda de 19,7% no período. 

Na comparação com maio do ano passado, o setor de serviços recuou 19,5%, registrando a taxa negativa mais intensa desde o início da série histórica. No acumulado dos primeiros cinco meses do ano, o setor de serviços recuou 7,6%, enquanto nos últimos 12 meses, acumulou -2,7%. 

Anterior Claro firma parceria com o Banco Pan para abertura de contas digitais
Próximos Novo edital de venda da Sercomtel prevê pagamento de R$ 50 milhões no ato