Sky retira as propostas pelas outras três posições de satélites


Antes de recomeçar o leilão da Anatel, a Sky do Brasil pediu para retirar as propostas pelas outras três posições orbitais de satélites geoestacionários a serem vendidas, mesmo perdendo a garantia já depositada de 10% do valor mínimo previsto pela agência. A operadora alega que não tem interesse nos outros lotes e avalia que terá mais prejuízos se for considerada vencedora de outra posição.

O edital da licitação, entretanto, somente prevê a retirada das outras propostas pela empresa que venceu um dos lotes. No caso, a HNS Américas (Hughes), que pagou R$ 145,2 milhões pela primeira posição orbital licitada. A Sky chegou a replicar três vezes, com oferta final de R$ 121,7 milhões, com ágio de 2.985%, mas foi batida pela Hughes.

Segundo o vice-presidente de Engenharia da Sky, Luiz Fernando Barcellos, a posição escolhida pela Hughes era a única que interessava a companhia. Entre outros motivos pela preferência está o de que ela fica próxima do satélite da Sky e os sinais dos dois satélites poderiam ser recebidos com apenas uma antena na casa do cliente. Em outra posição orbital, a Sky teria que instalar duas antenas em cada residência.

Com a desistência, a empresa perde mais de R$ 900 mil na oferta das garantias dos outros lotes. A Anatel aceitou o argumento da empresa, após ouvir a procuradoria especializada, e autorizou a saída da operadora do leilão.

Anterior Telefónica derruba preço de banda larga de 10 Mbps. Na Espanha.
Próximos Solutis, novo grupo brasileiro de TIC