Sky está se distanciando da primeira colocada, a NET/Embratel


As empresas América Móvil reinam em TV paga no Brasil. O grupo mexicano tem, em outubro, 53,47% do mercado, sendo que vem ampliando esse porcentual trimestre a trimestre – desconsiderando o período que a Anatel ainda não trabalhava com os novos municípios atendidos pela NET. Já a Sky/DirecTV, segunda maior provedora do serviço no país, saiu de uma participação de 31,18% do mercado em outubro de 2012, para 29,77% do total de assinantes em outubro de 2013, último dado divulgado pela agência reguladora. Em doze meses, a diferença entre as duas subiu de 21,6 p.p. para 23,7 p.p.

Com a liberação das empresas de cabo para atuarem em todo o país (a partir da aprovação da Lei do SeAC), a NET tem avançado em cobertura em cidades de médio porte e combinado as ofertas com as demais empresas do grupo para fortalecer os pacotes combo, que ajudam a diminuir o churn. Ao mesmo tempo, Embratel e Claro avançam na oferta por satélite, também com pacotes triple-play. 

A Sky/DirecTV, por outro lado, comprou licenças para oferecer banda larga fixa, sob rede móvel TD-LTE em 2,5 GHz, mas parece, ainda, desfavorecida na competição no bundle, com poucas cidades com a cobertura de banda larga. Apenas Brasília (DF) e Franca (SP) têm redes em operação. A Sky, porém, tem licença para operar o serviço LTE na faixa de 2,5 Ghz em 665 cidades – incluindo 15 capitais principalmente no Norte e Nordeste, mais Distrito Federal -, o que lhe permite cobrir até 16 milhões de domicílios. A empresa prometeu, em julho, uma expansão agressiva no segundo semestre, o que não ocorreu. É preciso esperar para ver como a oferta de banda larga moverá a posição da companhia daqui para frente. 

Outras
Considerando a variação de participação de mercado em doze meses, concluídos em outubro, a GVT foi a que mais avançou, com 1p.p, seguida da Oi, com 0,93 p.p de diferença no período, mas ambas ainda representam apenas 3,48% e 5,08% do total da TV paga brasileira.

A Telefônica Vivo, que reestruturou sua oferta de TV com o relançamento do DTH e do IPTV, perdeu 0,65% de participação em doze meses, e conta agora com 3,22% do mercado. A operadora espanhola, no entanto, estacou a perda de clientes e desde junho vem ampliando sua base aos poucos, de 512,8 mil para 569,940 mil em outubro, variação de 57,12 mil.

Mercado Nacional
Com 17,7 milhões de clientes, a base de assinantes dos serviços de TV paga cresceu 12,90% no período de outubro de 2012 a outubro de 2013. Considerando-se o número médio de 3,2 pessoas por domicílio divulgado pelo IBGE, os Serviços de TV por Assinatura são distribuídos para aproximadamente 56,6 milhões de brasileiros, de um total de aproximadamente 230 milhões.

 

Anterior Cade decide: Telefónica só pode ficar com toda a Vivo se sair da Telecom Italia. Ou encontrar novo sócio.
Próximos Cade quer que Telefónica venda TIM ou recue no aumento de capital da Telecom Italia