O Sindisat (Sindicato Nacional de Empresas de Telecomunicações por Satélite) e o Inatel (Instituto Nacional de Telecomunicações) assinaram um convênio para a realização de pesquisas sobre o uso de satélites nas infraestruturas de quinta geração de redes móveis (5G).

Pelo acordo, o Sindisat vai custear uma bolsa de estudos de Mestrado em Telecomunicações para o desenvolvimento de pesquisa que irá analisar o desempenho de sistemas de transmissão para redes 5G visando atender os serviços essenciais do Brasil.

Os resultados dessa pesquisa serão apresentados na Comissão de Pesquisa e Casos de Usos do Projeto 5G Brasil, que reúne representantes de associações, instituições de pesquisa, governo e empresas do setor de Telecomunicações.

“Com as dimensões continentais do Brasil, torna-se imperativo o uso de sistemas via satélite para que o país atinja o objetivo de ser 100% 5G. Redes híbridas terrestre-satélite trarão inovações tecnológicas e novos serviços para usuários de todo o Brasil”, afirma Luiz Otávio Vasconcelos Prates, presidente do Sindisat.

Para Carlos Nazareth Motta Marins, vice-diretor do Inatel, “a experiência e a participação da indústria de satélite poderão contribuir muito para a pesquisa no Inatel e os resultados deste trabalho de investigação darão consistência ao avanço da tecnologia 5G no Brasil e a uma relevante contribuição brasileira para o mundo”. (Com assessoria de imprensa)