Siemens Enterprise inicia produção de terminais IP no Brasil


A Siemens Enterprise Communications inaugurou hoje, na sua fábrica de Curitiba, Paraná, uma nova linha de produção para a fabricação de terminais IP. Os novos produtos vão atender ao mercado local e aos países da América Latina. Com a produção local, a meta é triplicar a venda de terminais IP no Brasil, onde a fabricante …

A Siemens Enterprise Communications inaugurou hoje, na sua fábrica de Curitiba, Paraná, uma nova linha de produção para a fabricação de terminais IP. Os novos produtos vão atender ao mercado local e aos países da América Latina. Com a produção local, a meta é triplicar a venda de terminais IP no Brasil, onde a fabricante alemã lidera com uma participação de 43% nas vendas (o percentual inclui terminais TDM, convergentes e IP), segundo dados da Frost & Sullivan.

A fábrica de Curitiba já é um pólo de exportação mundial e atende a 60% da demanda da Siemens mundial no fornecimento de plataformas de comunicação. A unidade já produz plataformas de grande e médio portes e sistemas para pequenas e micro empresas. No segmento IP, a fabricante vai produzir terminais das famílias OpenStage e OpenScape, que apresentam vantagens como mobilidade e interface única, vêm com soluções para videoconferência e aplicações para comunicação unificada.

O diretor da fábrica de Curitiba, Baldoíno Sens, informou que foram investidos US$ 5 milhões na nova linha de produção e gerados 200 novos empregos. A meta é produzir 150 mil terminais por ano. Desse montante, 40% devem ser para exportação. “Com a fabricação no Brasil, a exportação para os países da América Latina ganha incremento significativo na competitividade”, comentou Humberto Cagno, diretor geral da Siemens Enterprise para América Latina. Os terminais IP serão produzidos com os incentivos do PPB (Processo Produtivo Básico), que permite redução de 85% no IPI, além de redução no Imposto de Importação de partes e peças. A fabricante conseguiu também baixar a alíquota do ICMS de 12% para 7%.  

Mercado ainda é analógico

Cerca de 85% dos terminais de telefone no Brasil ainda são analógicos. Para o diretor geral da Siemens Enterprise Brasil, Armando Souza, há um atraso de três anos em relação à Europa e os Estados Unidos, que pode ser diminuído para dois anos com a produção local. “Nossa expectativa é que haja redução de 30% no preço dos aparelhos”, informou Souza. Ele acredita que os aparelhos mais simples vão custar, em média, US$ 150.

Com os investimentos na fábrica de Curitiba, a Siemens Enterprise quer triplicar a venda de terminais IP e duplicar o faturamento no segmento. No ano passado, o faturamento da unidade brasileira foi cerca de R$ 500 milhões – a empresa investe 4% de sua receita em pesquisa e desenvolvimento. As exportações, a partir de Curitiba, totalizaram US$ 70 milhões.

De acordo com os dados da Frost & Sullivan, a Siemens Entreprise responde por 43% do mercado corporativo de terminais. O segundo colocado, a Avaya, tem 9,8% de mercado; Alcatel-Lucent e Cisco, 9,7% cada uma; Nortel, 7,3%, Intelbrás 6,2%, e Ericsson 4,8%. “Lideramos o mercado de telefonia para empresas também na América Latina, onde temos participação de 23%”, destacou Souza.

Anterior BrT vai investir R$ 2,2 bi em 2008
Próximos PL 29 pode ser debatido em Plenário