Setor de TI quer saída “constitucional” para a crise política


As entidades que representam empresas do setor de tecnologia da informação divulgaram carta em que cobram celeridade dos três poderes da República para resolver a crise política. O manifesto é assinado por Abes ( Associação Brasileira das Empresas de Software), Assespro Nacional (Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação) e Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), e Fenainfo (Federação Nacional das Empresas de Informática).

Na carta, as entidades pedem que as lideranças políticas nacionais que “busquem, incessantemente, soluções que permitam a superação dos impasses, sempre circunscritas à ordem constitucional e seus desdobres no âmbito do direito”. Cobra que qualquer desfecho respeite as leis vigentes.

O grupo afirma ser neutro e apartidário. Pede que as investigações de crimes e processos alcancem a todos que tenham cometido qualquer delito. “Urge, porém, fazê-lo com celeridade, para que alcancemos um patamar de estabilidade que possibilite um mínimo de governabilidade”, afirmam.

As associações afirmam, ainda, que a crise política vem ampliando a recessão da economia. Sugere o aumento do uso das tecnologias de informação para reduzir o desajuste fiscal e ampliar a eficiência dos serviços de governo.

Anterior Oi muda marca e lança quad-play mesmo em reestruturação de dívida
Próximos Superintendência do Cade pede condenação de cartel de memória DRAM