SET 2010 destaca tendência do conteúdo digital em 3D


Assistir a final da Copa das Confederações ou a versão portuguesa do Rock in Rio, em Lisboa, em uma telona de cinema pode ser um dos grandes negócios da indústria de entretenimento, nos próximos anos, e que deve atrair um número cada vez maior de espectadores. A tendência foi destaque do painel Cinema 3D e 4K, que abriu a série de debates durante a SET 2010 – Broadcast e Cable, um dos principais eventos de tecnologia em equipamentos e serviços para engenharia de televisão, radiodifusão e telecomunicações da América Latina, que acontece de 24 a 27 de agosto, em São Paulo.

“O Cinema 3D ao Vivo é uma tendência mundial, testada no Brasil durante a Copa deste ano e que pode conquistar definitivamente o público brasileiro.” A declaração foi feita pelo mediador do debate que abriu o Congresso da SET, nesta segunda feira, Alex Pimentel, diretor da SET e representante da Casablanca On Line.

O cinema 3D é uma realidade no mundo e atualmente está ganhando investimentos de toda a cadeia, dos produtores aos exibidores de filmes. Avatar foi o grande alavancador dessa tecnologia e dessa nova indústria, que agora toma corpo e alma, movimentando os investimentos do setor. “Os custos ainda são altos como toda nova tecnologia, mas a curto prazo tendem a cair e a promover um desenvolvimento ainda maior desta tecnologia. Já temos hoje uma audiência fiel que vai ao cinema assistir os filmes 3D”, afirma Primo.

Fórum Internacional ISDB-T
A III Reunião Internacional do ISBD-T foi outro grande destaque neste primeiro dia de Congresso da SET. No encontro ficou definido o Fórum International do ISDB-T que tem a missão de normatizar e harmonizar os padrões do sistema ISDB-T nos países, que aderiram a essa tecnologia.

 

O Brasil vai comandar o fórum neste seu primeiro ano de vida. Frederico Nogueira, presidente do Fórum Brasileiro de TV Digital foi escolhido para o cargo. Hadil da Rocha Vianna, embaixador e diretor do Departamento de Temas Científicos e Tecnológicos do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, coordenou a reunião e assegurou que neste primeiro ano, a missão brasileira é a de unificar e harmonizar as normas do ISDB-T em todos os países membros e ampliar ainda mais essa tecnologia no mundo.

Anterior Anatel adia votação do PGMU para próxima semana
Próximos Queixas contra serviços de telecomum voltam a crescer