Serviços mundiais de Nuvem Pública devem atingir US$ 204 bilhões em 2016


polygonal-cloud-computing-nuvemA Gartner, empresa de pesquisa de mercado e consultoria, calcula que o mercado mundial de serviços de Nuvem Pública deve atingir US$ 204 bilhões em 2016, um crescimento de 16,5% em relação a 2015, quando registrou US$ 175 bilhões. A maior expansão virá dos serviços de infraestrutura de sistemas em nuvem (Infraestrutura como um Serviço, IaaS), que deve crescer 38,4% em 2016. A propaganda em nuvem, o maior segmento do mercado mundial de serviços, deve registrar um crescimento de 13,6%, alcançando US$ 90,3 bilhões.

“Os serviços de nuvem pública continuam apresentando elevadas taxas de crescimento em todos os mercados e o Gartner espera que isso continue até 2017. Este forte crescimento continua se refletindo na mudança do legado dos serviços de TI para serviços baseados em nuvem, devido à tendência de crescimento de empresas que buscam uma estratégia digital de negócios”, afirma Sid Nag, diretor de pesquisas da Gartner.

O segmento de IaaS continuará com crescimento acelerado em 2016, prevendo alcançar US$ 22,4 bilhões de dólares. “O IaaS continuará sendo um segmento de forte crescimento enquanto as empresas deixarem os centros de dados pagos e migrarem suas necessidades de infraestrutura para a Nuvem pública. Alguns líderes de mercado têm obtido vantagens significativas neste segmento, então fornecedores devem criar mecanismos de diferenciação para terem sucesso”, diz o analista.

Os Serviços de aplicativos em nuvem (SaaS) devem registrar um crescimento de 20,3% em 2016, alcançando US$ 37,7 bilhões. Como fornecedores de software mudaram seus modelos de negócio de software locais licenciados para ofertas baseadas em nuvem pública, esta tendência continuará. Além disso, a entrada de alguns dos maiores fornecedores de software para a nuvem pública em 2015 impulsionará o crescimento do mercado SaaS. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Novo plano de banda larga deverá contar com recursos do MEC e das multas das operadoras
Próximos Para rentabilizar a rede, Sercomtel busca parcerias