Serviços em nuvem irão movimentar US$ 7,4 bi na AL em 2022


polygonal-cloud-computing-nuvem

A adoção de novas tecnologias, como a Internet das Coisas (IoT), Big Data e inteligência cognitiva, e a adoção de serviços gerenciados em nuvem impulsionaram o mercado de Infraestrutura como Serviço (IaaS) na América Latina no último ano, e vão continuar a receber afluxo de investimentos.

A previsão é da consultoria Frost & Sullivan. A empresa calcula que a receita nesse setor foi de US$ 1,8 bilhão em 2017, e prevê que será de US$ 7,4 bilhões até 2022, um CAGR de 31,9%.

Em 2017, o Brasil representou 50,7% do total de negócios, seguido pelo México com 22,9%, Chile com 7,9% e Colômbia com 6,5%.

“Para extrair o máximo da nuvem, as empresas estão aumentando o investimento em infraestruturas híbridas que combinam várias configurações, como nuvem privada on premises, nuvem pública, nuvem privada hospedada e nuvem bare-metal”, abalisa Renato Rosa, Gerente do Programa de Serviços de TI e Aplicações na Frost & Sullivan. Outras tendências que tendem a se expandir na região são as ofertas de serviços gerenciados e a ascensão de provedores Multi-Cloud. (Com assessoria de imprensa)

 

Anterior Disputa emperra o programa Internet para Todos
Próximos Nokia usa LTE Broadcast em carros autônomos no Japão