Serviços ao cidadão pelo celular, via SMS.


É o projeto Alô Cidadão!, uma parceria entre a organização não-governamental Instituto Hartmann Regueira e o Instituto Telemar, que divulga, via aplicativos SMS (Serviço de Mensagens Curtas) desenvolvidos pela Okto, informações sobre a abertura de vagas de emprego e de cursos, atividades comunitárias, campanhas de vacinação, entre outras, para os moradores da comunidade carente da …

É o projeto Alô Cidadão!, uma parceria entre a organização não-governamental Instituto Hartmann Regueira e o Instituto Telemar, que divulga, via aplicativos SMS (Serviço de Mensagens Curtas) desenvolvidos pela Okto, informações sobre a abertura de vagas de emprego e de cursos, atividades comunitárias, campanhas de vacinação, entre outras, para os moradores da comunidade carente da Pedreira Prado Lopes, em Belo Horizonte (MG). O objetivo do projeto é a inclusão social de pessoas com poucas opções de acesso aos meios de comunicação, segmento no qual, sabe-se, é disseminado o uso do pré-pago.

Enquanto cabe à Okto o aplicativo SMS, a equipe da ONG faz o levantamento e o envio das informações, além de receber sugestões de pauta dos moradores. São encaminhadas duas mensagens por dia, de segunda a sexta-feira, cada uma com até 135 caracteres. Segundo a CEO da Okto, Ann Williams, o celular como meio de comunicação junto à população de baixa renda abre novas possibilidades para o exercício da cidadania, priorizando as informações locais.

O Alô Cidadão! gera conteúdo de interesse direcionado pela e para a comunidade, informando os cadastrados no projeto sobre assuntos de cunho social. A expectativa é que essa disseminação de informações contribua para articulação da comunidade Pedreira Prado Lopes como um todo, incluindo atividades locais e organizações sociais. Na primeira fase do projeto foram cadastrados 200 celulares pré e pós-pagos, cujos donos serão multiplicadores de informações. Lançado oficialmente em 17 de agosto, o projeto terá duração de 12 meses, período ao final do qual espera-se que chegue a mil o número de celulares cadastrados.

(Fonte: assessoria de imprensa, Okto)

Anterior Brascan avalia como positivo empréstimo da BrT
Próximos França quer ter 11 milhões de casas com fibra óptica