Sercomtel coloca imóveis à venda


Fachada da Sercomtel, em Londrina (Foto: Devanir Parra/Divulgação)

A Sercomtel abriu ontem, 16, leilão para a venda de seus imóveis (salas e terrenos) por lotes.Com a venda dos bens patrimoniais, a empresa espera receber, no mínimo, R$ 29,2 milhões. A autorização para que a empresa vendesse os bens, que estavam na lista de reversíveis, foi dada no final do ano passado pela Anatel.

O valor deverá reforçar o caixa da empresa, que está em processo de caducidade de licenças. No momento, há uma corrida contra o relógio por parte da prefeitura de Londrina para privatizar a estatal municipal. Em dezembro a empresa vai abrir o capital na bolsa, na expectativa de conseguir um novo controlador.

Ao todo serão alienados nove bens imóveis: uma sala comercial, com 147 metros quadrados, no Centro Empresarial Newton Câmara, localizado na Avenida Higienópolis; uma sala comercial, com 51 metros quadrados, no Complexo Empresarial Oscar Fuganti, localizado na Rua Santa Catarina; uma loja no Shopping Royal com 21 metros quadrados; um terreno localizado no Alphaville Londrina 2 com 12.784 metros quadrados; um terreno localizado no Jardim Los Angeles com 445 metros quadrados; um terreno localizado no Jardim Pérola com 305 metros quadrados e um terreno localizado no Jardim Belleville com 335 metros quadrados e um terreno localizado no bairro Aeroporto com 464 metros quadrados.

De todos os imóveis à venda, o mais bem avaliado é o terreno localizado próximo ao lago Igapó, na Avenida Higienópolis. Em área nobre, a propriedade é hoje um dos terrenos de maior valorização da área central de Londrina, com área total de, aproximadamente, 10 mil metros quadrados e valor mínimo de quase R$ 22 milhões.

O procedimento licitatório será realizado em 18 de novembro, às 9h30, nas dependências da empresa (Rua Fernão de Magalhães, 383), por meio do modo de disputa aberto, ou seja, a quem oferecer o maior lance verbal igual ou superior ao mínimo estabelecido no Edital.

Anterior Telefónica investe em empresa que desenvolve tecnologia aberta vRAN
Próximos Intel compra tecnologia de computação de borda de olho na 5G